29 de dez de 2014

Dicas para um verão saudável


 

 

PELE: tempo de exposição ao sol tem limites


Aí está o verão. E não importa onde você decidiu pegar sol – no quintal de casa, na praia, na fazenda ou na estrada – há uma série de precauções a serem tomadas para evitar que seu tempo de lazer seja interrompido por algum problema de saúde.

 
De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia, cerca de 90% das lesões, que causam o câncer de pele, localizam-se nas áreas que ficam expostas ao sol, o que mostra a importância da proteção nos dias mais ensolarados. 


No Brasil, sem contar as incidências não divulgadas, são registrados mais de 100 mil casos de câncer de pele a cada ano.
 

Além do uso de protetores solares, recomenda-se também, a exposição adequada ao sol, ou seja, antes das 10h e depois das 15h. 


Para evitar o câncer de pele e as lesões pré-cancerosas, alguns cuidados são imprescindíveis: mesmo em dias nublados, o filtro deve ser usado e a proteção deve ser complementada com bonés, chapéus, roupas claras e óculos escuros. 


O filtro solar deve fazer parte da rotina de todos e quando houver exposição ao sol, precisa ser aplicado a cada hora.


Crianças e adultos



Os efeitos da irradiação ultravioleta, principal agente causador da doença, só se manifestam com o passar do tempo. Na maioria dos casos, as lesões começam a aparecer por volta dos 30 anos de idade. 


Os efeitos do sol são cumulativos e 80% da radiação solar recebida durante a vida ocorre até dezoito anos. É por isso que o trabalho de esclarecimento e de conscientização é muito importante em crianças e adolescentes.


Para manter a pele saudável no verão, siga algumas recomendações como: beber muito líquido para hidratar o corpo e a pele e, principalmente, a utilização do filtro solar, nunca com fator de proteção abaixo de 15. 


Quanto ao tempo de exposição ao sol, sem que se inicie o processo de queimadura da pele, chamado eritema, varia de pessoa para pessoa, conforme a cor da pele. 


Portanto, conheça o estudo realizado recentemente pela Sociedade Brasileira de Dermatologia em parceria com a Universidade do Rio de Janeiro, relativo ao tempo de exposição ao sol permitido de acordo com a cor de sua pele. 


A pesquisa considerou as seguintes condições: céu claro, sem nuvens e névoas; e sem proteção adequada.

  • PELE CLARÍSSIMA – pessoas com olhos azuis, sardentas, que sempre se queimam e nunca se bronzeiam: 15 min.
  • PELE MUITO CLARA – pessoas com olhos verdes ou castanhos-claros e cabelo loiro ou ruivo, que sempre se queimam e, às vezes, se bronzeiam: 18 min.
  • PELE CLARA – Média das pessoas brancas que se queimam moderadamente e bronzeiam-se de modo uniforme: 24 min.
  • PELE MORENO-CLARA – Pessoas com cabelo castanho-escuro e olhos escuros que se queimam muito pouco e bronzeiam-se muito: 31 min.
  • PELE MORENA – Pessoas que raramente se queimam e se bronzeiam muito: 48 min.
  • PELE NEGRA – Pessoas que nunca se queimam e são profundamente pigmentadas: 66 min.

 

Doenças de pele mais comuns no verão:

 

MICOSES


As micoses são doenças causadas por fungos e podem ser divididas em superficiais e profundas. 


Superficiais são aquelas em que o fungo se localiza sobre a pele ou ao redor dos pêlo, ou ainda se os fungos penetram apenas na camada externa da epiderme, (a camada córnea), ou nas raízes dos pêlos e das unhas.


Já nas micoses profundas, os parasitas podem infectar a pele e os órgãos internos como pulmões, intestinos, ossos, sistema nercoso e outros. Ao penetrar no organismo o fungo se dissemina, por via linfátiva ou sanguínea.


As micoses profundas são obviamente muito mais graves que as superficiais e apresentam aspectos de incidência particulares. Alguns tipos sãoencontrados em todas as partes do mundo e há outras formas, como 


Blastomicose, com mais frequência de aparecimento na América do Sul. As micoses superficiais são divididas em 2 grupos:


Aquele que se localiza na superfície da pele e pêlos: os fungos retiram sua alimentação de restos epiteleiais ou de secreções; outro grupo é constituído por doenças denominadas Dermatomicoses e Dermatofitoses. 


As Dermatomicoses são causadas por fungos específicos dotados de uma enzima especial que pode transformar a queratina em alimento. 


A queratina é a principal substância constituinte da camada córnea da epiderme, dos pêlos e unhas. Já as Dermatofitoses são causadas por fungos Dermatófitos, classificados em 3 gêneros: Tricófitos, Microsporos e Epidermófitos.


A micose de COURO CABELUDO apresenta-se como uma área arredondada com menos cabelos, descamação e coceira. Compromete mais as crianças, é contagiosa e se manifesta em ambientes comunitários. O tratamento é sistêmico, via oral, feito por médico especialista.


A micose de PÉ é bastante comum, causando lesões como bolhas, descamação e intertrigo. A frieira é a forma clínica de pé-de-atleta, ou dermatofitose. As lesões de frieira localizam-se entre os artelhos, sendo pruriginosas, podendo ser provocadas por Dermatófitos do gênero Trichophyton ou pela Candica albicans.


A micose de UNHA é de difícil e longo tratamento, porque o fungo se adapta muito bem às unhas dos pés, provocando o engrossamento, amarelamento e descamação das unhas.


Para evitar a contaminação você precisa:


  • Manter o corpo limpo e seco, especialmente pés, mãos e reentrâncias.
  • Evite andar descalço em áreas de uso comum, como clubes e academias.
  • Usar semanalmente talcos e loções secativas contendo agentes antisépticos, como Triclosan, Triclorocarban, Carpriloil glicina, Óleo essencial de Melaleuca e Timol.
  • Evitar compartilhar objetos de uso pessoal, como alicates de unha, escovas e pentes, buchas e esponjas de banho.

 

CONJUNTIVITE

 

Conjuntitivte á a inflamação da membrana (conjuntiva) que cobre o olho e a superfície interna das pálpebras. As três principais causas de conjuntitive são:

  1. Contaminação do olho com bactérias ou vírus. Eles podem ser transmitidos pelas mãos (principalmente), por toalhas, cosméticos (particulamente maquilagem para os olhos) ou uso prolongado de lentes de contato. Os dois tipos de infecção são contagiosos.
  2. Irritação é outra causa de conjuntivite. Os causadores podem ser a poluição do ar, fumaça (cigarro), sabão, sabonetes, sprays, maquilagens, cloro, produtos de limpeza  etc.
  3. Alguns indivíduos apresentam conjuntivite alérgica (sazibal), devido a alergia à pólens.

 Quais são os sintomas?



Várias combinações dos seguinters sintomas podem estar presentes: coceira, olhos vermelhos, fotofobia (sensibilidade à luz), inchaço das pálpepras e secreção nos olhos. A secreção pode ser desde aquosa até purulenta, dependendo da causa da conjuntivite.


Duração:



Na maioria dos casos dura de poucos dias a duas semanas. Conjuntivite alérgica dura enquanto o alergeno estiver presente.


Tratamento:
 


O tratamento varia dependendo da causa. Medicações (pomadas ou colírios) podem ser recomendadas para acabar com a infecção, aliviar os sintomas da alergia e/ou diminuir o desconforto.


Cuidados:


  • Lave suas mãos com frequência
  • Não coloque as mãos nos olhos para evitar recontaminação
  • Evite coçar os olhos para diminuir a irritação da área
  • Lave as mãos antes e depois do uso de colírios ou da pomada no olho
  • Evite a exposição à agentes irritantes (fumaça) e/ou alegenos (pólen), que podem causar a conjuntivite
  • Não use lentes de contato enquanto estiver com conjuntivite
  • Não use lentes de contato se estiver usando colírios ou pomadas


Pode-se previnir as conjuntivites?
 


É difícil previnir-se das conjuntivites, mas algumas medidas podem diminuir o risco de você adquirir uma conjuntitivite, que são:

  • Não use maquiagem de outras pessoas (e nem empreste as suas)
  • Evite compartilhar toalhas de rosto
  • Lave as mãos com frequência e não coloque-as nos olhos
  • Use óculos de mergulho para nadar, ou óculos de proteção se você trabalha com produtos químicos
  • Não use medicamentos (pomadas, colírios) sem prescrição (ou indicados para outra pessoa)
  • Evite nadar em piscinas sem cloro, ou em lagos

Atenção!  


Se ocorrer algum destes problemas, contate seu médico:


  • Alterações visuais
  • Dor ocular intensa
  • Dor ao movimentar os olhos
  • Febre
  • Não melhoria com a medicação
  • Secreção contínua após o término da medicação
  • Aumento da sensibilidade à luz

 

BROTOEJAS


A brotoeja – chamada pelos médicos de miliária – é uma erupção cutânea que afeta bebês e crianças pequenas. 


É causada pelo suor profuso, aliado à glândulas sudoríparas obstruídas e inflamadas. Devido à obstrução e a inflamação, o suor não chega à superfície da pele, ficando retido e causando irritação,frequentemente com coceira. 


A brotoeja é comum após a queimadura do sol, num dia quente e úmido, com febre ou como resultado de calor excessivo proveniente do excesso de roupas ou um ambiente superaquecido.


A erupção cutânea é caracterizada por áreas vermelhas, com pequenas vesículas no centro. Essa erupção cutânea pode aparecer no rosto, pescoço, ombro, barriga ou peito. Pode coçar e “pinicar”.


Tratamento convencional:



O tratamento de brotoeja objetiva o conforto, principalmente ao refrescar e secar a área afetada. Banhos, roupas frescas e a prevenção de condições que provavelmente causem suor são as principais recomendações para a criança com brotoeja. 


Um ambiente com ar-condicionado é muitas vezes útil. Aplicar um creme esteróide, de uso tópico, na área afetada, pode oferecer algum alívio, mas não é tão eficaz para resolver o problema quanto trocar as roupas do seu filho e/ou mudar seu ambiente.


Diretrizes alimentares:
 

Enquanto seu filho tiver essa erupção cutânea, elimine doces e alimentos gordurosos. Esses podem aumentar o calor interno e agravar a erupção cutânea.


Recomendações gerais:
 

Dê, em seu filho, banhos de aveia para refrescar a pele e aliviar a coceira. Seque a pele com tapinhas suaves, e não com esfregões vigorosos. 


Não aplique qualquer loção ou pomada perfumada na pele. Podem piorar a situação. Vista seu filho com roupas frescas, de fibra natural e arejadas.


Prevenção:
 


Evite que seu filho saia com muita roupa, principalmente em dias quentes. Se ele for propenso à brotoejas, experimente mantê-lo o mais fresco possível, principalmente no verão. Sempre que possível, faça com que evite atividades que façam suar muito.


Fonte:Labormed 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário