28 de jun de 2013

II CONGRESSO SOBRE ATROFIA MUSCULAR ESPINHAL DO SUL DO BRASIL

XXII Encontro Paulistano de Pessoas com Deficiência





O Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência (CMPD) realiza, nos dias 3 e 10 de agosto de 2013, o XXII Encontro Paulistano de Pessoas com Deficiência, com o objetivo de promover a discussão e a elaboração das propostas e ações a serem implementadas na Cidade.

Datas: 3 e 10 de agosto de 2013 das 9h às 17h
 
Local: Centro de Referência da Cidadania e do Idoso - CRECI - Rua Formosa, 215, Centro, São Paulo-SPOs interessados em participar devem preencher o formulário anexo e enviar para o email do Conselho.
 
Veja como se inscrever:

1º Passo: Clique aqui e abra o arquivo
2º Passo: Preencha com seus dados e salve a ficha em seu computador
3º Passo: Encaminhe email para cmpd@prefeitura.sp.gov.br e anexe a ficha já preenchida e salva no seu computador.
 

Importante: Inscrições devem ser feitas até o dia 19 de julho, às 17h. A ficha só sera válida após a confirmação por email.
 

Dúvidas: Ligue para (11) 3113-9672 / 9674 // 9676

DICA DE FINAL DE SEMANA: Centro Cultural SP apresenta espetáculos acessíveis e gratuitos

Atores da Cia. Arte Negus apresentando sua peça
O Centro Cultural São Paulo apresenta, nesta semana, duas atrações gratuitas e acessíveis para pessoas com deficiência.

No dia 28/06, às 14h30, o Grupo Caravana Companhia de Teatro apresentará a peça “Quem tem medo do escuro?”. 

A obra trata de maneira lúdica e criativa o enfrentamento dos medos das crianças, como o escuro, bruxas, fantasmas entre outros. 

O evento contará com audiodescrição, que permite a pessoas com deficiência visual terem melhor compreensão de detalhes do cenário, figurino e até mesmo das cenas.

Nos dias 29 e 30/06, às 14h30, é a vez da Cia. Arte Negus apresentar a contação de histórias.  Seus dois personagens viajantes, Cabeça e Magreta, andaram por vários locais do Brasil e perceberam que pessoas são feitas de um material muito difícil de reparar a olho nu: histórias! O espetáculo terá interpretação em Libras para pessoas com deficiência auditiva.

Dilma é questionada sobre falta de acessibilidade para deficientes auditivos

Foto da deputada Mara Gabrilli assinando sua carta à presidente
A deputada federal Mara Gabrilli (PSDB-SP) enviou uma carta à Presidente Dilma Roussef, na última terça-feira (25/6), questionando a falta de acessibilidade em seu último pronunciamento em rede nacional.

Na semana passada, Dilma se pronunciou sobre as recentes manifestações que ocorrem em todo o País. 

No entanto, quase 10 milhões de surdos e deficientes auditivos não puderam acompanhar o discurso da presidente por falta de acessibilidade.

Como relatora do Estatuto da Pessoa com Deficiência, que tramita na Câmara dos Deputados, Mara Gabrilli realizou há duas semanas, em São Paulo, uma audiência pública com a comunidade surda. A maior demanda levada pelas 200 pessoas que compareceram à discussão diziam respeito à oferta da legenda e de intérprete de Libras.


“Recursos como legenda e janela com intérprete de Língua Brasileira de Sinais são fundamentais para que esta significativa parcela da população tenha seus direitos garantidos pelo Governo”, afirma a deputada.

Durante o lançamento do Plano Viver sem Limite, em novembro de 2011, Dilma anunciou um investimento de R$ 7,6 bilhões até 2014 para atender 45 milhões de pessoas com deficiência, em três anos. No entanto, segundo a deputada, essa verba não é satisfatória.


“Se fizermos as contas, são 55 reais por ano a cada brasileiro com deficiência, para saúde, educação, trabalho, transporte, cultura, entre outras áreas. Cinquenta reais não arcam nem com o gasto anual de pilhas para um aparelho auditivo”, afirmou. 

“Além de tudo, na prática, a presidente não vem cumprindo o que anunciou, deixando de oferecer acessibilidade em canais básicos, como em sua própria interlocução com o povo”,conclui Mara.

1° MARCHA EM DEFESA DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA NO RJ

Paraíba avança com ações para efetivação do Plano Viver sem Limite

Logo do Plano Viver sem Limite

A Paraíba é um dos estados do Nordeste que desenvolve com êxito o Plano Viver sem Limite do Governo Federal. 

Essa foi a opinião externada pelo coordenador do Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Elias Vieira Oliveira, na tarde desta quarta-feira (26), na Fundação Centro Integrado de Apoio aos Portadores de Deficiência (Funad), onde participou  de uma reunião sobre o Plano com a presidente do órgão, Simone Jordão, a coordenadora estadual da Política da Pessoa com Deficiência, da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Humano (Sedh), Gabrielle Tayanne, e técnicos da área.“

A Paraíba está numa condição muito boa no trabalho do Plano. Aqui temos no eixo da educação, por exemplo, com relação ao Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social (BPC) na Escola, a adesão de quase 100% dos municípios paraibanos. Isso demonstra o comprometimento com a ação”, disse.

O Plano Viver sem Limite contempla quatro eixos: saúde, educação, inclusão social e acessibilidade.

A presidente da Funad, Simone Jordão, destacou que o governador Ricardo Coutinho fez a adesão ao Plano Viver sem Limite há mais de ano e, com isso, muitas ações foram efetivadas na Paraíba para a pessoa com deficiência. 

“Em 2011, esse Plano foi lançado, mas naquele momento a Paraíba já tinha um Comitê instituído pelo Governador e, posteriormente, houve a adesão ao Plano Viver sem Limite. Isso teve uma importância muito grande e conseguimos implantar o primeiro Centro Dia em uma articulação com o município de João Pessoa, a Residência Inclusiva de João Pessoa e outra que está sendo implantada em Santa Rita com o co-financiamento do Governo do Estado, além do Centro de Reabilitação de Sousa, a oficina ortopédica da Funad, entre outras ações”, frisou.

Fonte: Paraíba

Primeiro deficiente auditivo com doutorado em linguística no Brasil palestra em Joinville

Imagem de Deonísio Schmitt
O professor Deonísio Schmitt estará em Joinville nesta sexta-feira, 28, para ministrar a palestra A Cultura Surda

O evento acontecerá no auditório do bloco F da Udesc, a partir das 13h.

Schmitt é a primeira pessoa com deficiência auditiva do país a alcançar o título de doutor em linguística. 

Aluno da primeira turma do curso de Pedagogia para surdos da América Latina, é atualmente professor do Centro de Educação a Distância da Udesc (CEAD).

O professor conta que enfrentou muitas barreiras no ensino fundamental, devido às dificuldades de aprendizagem da língua portuguesa por falta de intérprete em sala de aula. “Fui incluído numa turma de alunos ouvintes e só consegui adquirir conhecimento através da leitura labial”, afirma.

Schmitt também é coautor do Caderno Pedagógico de Língua Brasileira de Sinais para educação a distância da Udesc e do Caderno Introdução à Língua Brasileira de Sinais na modalidade a distância da Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul).


27 de jun de 2013

PROTESTO DIA 29/06 -PARTICIPE

Concurso para diplomata tem vagas exclusivas para pessoas com deficiência

Ilustração de um livro
Duas das 30 vagas do concurso público de admissão à carreira de diplomata, realizado pelo Instituto Rio Branco, são reservadas a candidatos com deficiência. 

As inscrições vão até 9 de julho, com taxa de R$ 160.

O concurso terá quatro fases, que serão realizadas simultaneamente em Brasília e nas 26 capitais estaduais do país. 

A aprovação no concurso habilitará o candidato a matricular-se no curso de formação do Instituto Rio Branco e a ingressar em cargo da classe inicial (terceiro secretário) da carreira de diplomata, de acordo com a ordem de classificação obtida. 

Para concorrer a uma das vagas reservadas, o candidato deverá, no ato da inscrição, declarar-se com deficiência. 

Também terá que encaminhar cópia simples do Cadastro de Pessoa Física (CPF) e laudo médico (original ou cópia autenticada em cartório), emitido nos últimos doze meses, atestando a espécie e o grau ou nível da deficiência, com expressa referência ao código correspondente da Classificação Internacional de Doenças (CID-10), bem como à provável causa da deficiência. 

Mais informações aqui.


Fonte: Terra

Brasileira com paralisia cerebral ganha bolsa de estudo nos Estados Unidos

Foto de Nathalia Blagevitch Fernandez
Aos 22 anos, a jovem paulistana Nathalia Blagevitch Fernandez, estudante de direito da Faculdade de Direito Damásio de Jesus, acaba de conquistar uma bolsa de estudo para cursar o Legal Education Exchange Program (Leep) – Fundamentals of U.S. Legal System, em San Diego (Califórnia - –EUA), na renomada universidade de direito Thomas Jefferson School of Law (TJSL).

Nathalia nasceu com paralisia cerebral (hemiplegia), o que limita a mobilidade da parte direita do seu corpo, criando dificuldades para andar, escrever e manipular objetos. Com isso, superar obstáculos já faz parte da rotina desta jovem.

Segundo George Niaradi, presidente da Comissão de Relações Internacionais da OAB-SP, Nathalia é a primeira aluna com esse tipo de deficiência a participar do curso. 

Embora o acordo ofereça um desconto de 25% aos estudantes e profissionais inscritos na Ordem, Nathalia é a primeira a conquistar uma bolsa integral para o LEEP.
Niaradi conta que a estudante foi indicada à bolsa por demonstrar extremo interesse, dedicação e destaque nesta área jurídica. 

Ele explica que, além do excelente currículo, a  TJSL é uma faculdade totalmente inclusiva, a favor da diversidade, e conta com um moderno campus que oferece total acessibilidade – quesito fundamental para que alunos com deficiência possam circular e acompanhar todas aulas e atividades.

Mesmo após perder a visão, médico de SC não abandona a profissão

Foto de dr. Wilson em seu consultório
Em 1985, o então jovem e recém-casado Wilson Alves de Oliveira sofreu um grave acidente automobilístico em Santa Catarina

Foi diagnosticado com traumatismo cranioencefálico, perda do olfato e da visão. 

Ficou internado na UTI, realizou uma série de cirurgias e se submeteu meses de readaptação à nova realidade. 

Hoje, com 56 anos, continua exercendo sua profissão de médico e conta orgulhoso que muitos dos pacientes que atende diariamente pelo SUS de Blumenau ou em sua clínica particular sequer reparam que ele é deficiente visual.

O médico foi operado em Santa Catarina, mas a complexidade do caso pedia a intervenção de especialistas de São Paulo. E foi na maior cidade do país que ele descobriu que jamais recuperaria a visão – seus olhos, até hoje, não respondem a nenhum estímulo de luz. 

No mesmo ano, dr. Wilson fez curso de reabilitação na fundação Dorina Nowill, centro de referência para deficientes visuais. “Lá, aprendi o braile, a me locomover com o auxílio de uma bengala e atividades da vida cotidiana. Antes, nem cortar um bife eu conseguia”, relembra.

Ser independente e “feliz com a vida” são outras características do dr. Wilson, que garante: nunca teve problemas com aceitação. “Vivo sozinho, viajo de avião sozinho, vou ao supermercado, pego táxi e até metrô quando estou em São Paulo. Eu e a minha bengala, né?”, conta o pai de três jovens “maravilhosos”. Apesar da agitada rotina, o dr. Wilson ainda arruma tempo para cuidar da saúde, fazendo trilhas a pé e pedalando sua bicicleta de dois selins.

A tecnologia se encarrega de mantê-lo informado, por revistas no formato MP3, e de adaptá-lo ao computador, equipado com softwares especiais para deficientes visuais. Mas a força para seguir em frente, segundo dr. Wilson, “está dentro de nós e de Deus”. 

Por isso, procura seguir os ensinamentos de pensar sempre no próximo e de praticar a caridade. "Assim, tudo fica tranquilo. Tanto é verdade que nunca tomei um comprimido de antidepressivo na vida".

Fonte: Terra

Programação audiodescrita passa de 2 para 4 horas semanais na TV aberta

Foto ilustrando uma televisão
A partir de 1º de julho, as emissoras de TV aberta estarão obrigadas a ampliar de 2h para 4h semanais a programação com o recurso inclusivo e acessível da audiodescrição

 Esta adequação atende o que está disposto na Portaria n.o 188, do Ministério das Comunicações. 

Este aumento do horário com programação audiodescrita representa uma conquista para as pessoas com deficiência visual, já que são as beneficiadas com este recurso que transforma imagens em palavras para que informações-chave, transmitidas apenas visualmente, possam ser acessadas com mais facilidade.

Esta ampliação vem a atender a um dos anseios da pessoa com deficiência visual, no que se refere a ter mais acesso e melhor entendimento do conteúdo produzido pelas emissoras de TV; como novelas, programas humorísticos, jornalísticos, esportivos, infantis, seriados, etc. 

No entanto, mesmo com a ampliação, a carga horária ainda é pequena comparada à grande quantidade de material que as emissoras de TV disponibilizam aos espectadores diariamente.

Fonte: Iguale

26 de jun de 2013

Exposição de fotos em Mogi pode ser apreciada por deficientes visuais

Foto com três das obras presentes na exposição
A exposição A Arte da Virada prova que, mesmo com deficiência, uma pessoa pode se destacar pelas suas competências e habilidades. 

A mostra chama atenção porque foi preparada para ser apreciada por todos, inclusive por portadores de deficiência. As fotos ficarão expostas no shopping de Mogi das Cruzes até o dia 2 de julho
.
Esse é o terceiro evento organizado pelo Fotoclube do Alto Tietê. O público pode conferir em 12 fotos jornalísticas que é possível ter cidadania e inclusão social para todos. 

“Nossa preocupação é sempre olhar para a pessoa com deficiência do ponto de vista do que ela é capaz de produzir para nós”, explica a curadora da exposição Tina Andrade.

A mostra pode ser lida em braile ou por meio de códigos. As fotos em alto contraste também facilitam a identificação das pessoas com baixa visão. 

A tecnologia é outra aliada das pessoas com deficiência visual. Elas podem baixar um aplicativo no celular, focalizar a obra e em alguns intantes a imagem é traduzida em texto e voz. 

Os visitantes especiais também têm autonomia ao circular pelo espaço onde as obras estão expostas. 

O local tem sinalização para que eles andem sozinhos pela exposição. “Isso faz difrerença porque nos torna mais independentes”, diz o assistente social com deficiência visual, João Batista da Silva

As estrelas das fotos são pessoas com algum tipo de deficiência que desenvolvem artes plásticas. 

O estudante de jornalismo e estagiário da TV Diário, Renan Macedo, é um deles. Ele foi fotografado pelo repórter Jonny Ueda. “É interessante perceber que eles produzem cultura e têm direito a cultura”, destaca Ueda. A exposição é gratuita e pode ser visitada até 2 de julho.

Fonte: G1

MG adere ao Plano Viver sem Limite

Logo do Plano Viver sem Limite
O Secretário Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Antonio José Ferreira, da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República SDH/PR
 , e o Secretário de Estado de Desenvolvimento Social de Minas Geais,Cássio Soares, assinaram nesta terça-feira (25), em Belo Horizonte (MG), o termo de adesão do estado ao Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência - Viver sem Limite

O evento ocorreu às 15h na cidade administrativa sede do governo mineiro.

Durante a adesão, o Secretário Nacional falou da importância do Viver sem Limite para os Estados. “O Plano Viver sem Limite, além das ações que estão previstas para ocorrer até 2014, que já estão em implantação, deixa o legado nos Estados que é a indução pela elaboração e efetivação dos planos estaduais como é o caso do Minas Inclui”, afirmou.

Para melhorar a qualidade de vida das pessoas com deficiência em Minas Gerais, no eixo Acesso à educação, já foram entregues kits de atualização para Salas de Recursos Multifuncionais e veículos para o Transporte Escolar Acessível. 

Para a Atenção à saúde, mais de 8 milhões de reais foram liberados para implantação de 4 Centros de Especialidades Odontológicas (CEO) e um Centro Especializado em Reabilitação (CER) para pessoas com deficiências física, auditiva, intelectual e visual.


Fonte: SNPDPD

Plano para garantir direitos da pessoa com deficiência é lançado em Belo Horizonte

Símbolo da acessibilidade
O "Plano Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência – Minas Inclui" foi lançado nesta terça-feira (25), na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte. 

O objetivo do plano é fortalecer políticas públicas, além de criar medidas de inclusão social, promoção e proteção aos direitos humanos.

De acordo com dados divulgados em 2010 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 23,92% da população brasileira apresenta algum tipo de deficiência. 

Em Minas Gerais, esse segmento representa 22,62% da população, sendo a maior incidência entre as mulheres.

Ainda de acordo com o IBGE, no estado a deficiência visual representa 55,5% dos casos. Em seguida está deficiência motora (22,9%), deficiência auditiva (16,6%) e deficiências mental/intelectual (5%).


Informações sobre o "Plano Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência - Minas Inclui"

Casa de Direitos Humanos para informações
: (31) 3270-7200
Mais informações: www.social.mg.gov.br

 

Casa de Direitos Humanos em BH: Rua São Paulo, 679, Centro


Fonte: G1

Palestra: Acessibilidade "MUITO ALÉM DAS NORMAS" Obrigações Jurídicas e Éticas dos Profissionais


25 de jun de 2013

Seleção de futebol de 5 enfrentará rivais argentinos

Foto da Seleção comemorando gol
A Seleção Brasileira de Futebol de 5 se prepara para mais um importante desafio, cujo título deverá ser decidido contra nosso grande rival, a Argentina

Entre os dias 19 e 29 de julho acontecerá, na própria Argentina, a Copa América. 

Na casa dos maiores adversários, o desafio deve ser ainda maior, para manter a série de invencibilidade.

O Brasil não perde um título há seis anos, mas na última competição os brasileiros chegaram ser derrotados pelos argentinos na primeira fase. Na decisão, o Brasil venceu os rivais em um torneio no México. As duas equipes são as grandes favoritas do campeonato.

Para fazer bonito nesta nova competição, a Seleção vai treinar entre os dias 7 e 14 de julho, na Andef, no Rio de Janeiro. 

O técnico Fábio Vasconcellos já convocou a equipe para a fase de treinamento, e com força máxima.

Professores são capacitados para atender alunos com deficiência em MG

Professores durante aula sobre a educação inclusiva
Até o dia 26 de junho, os professores da rede pública de ensino em Araxá, no Alto Paranaíba, passam por um treinamento para melhorar o ensino aos estudantes que têm algum tipo de deficiência. 

A qualificação também ajuda no processo de criação das Salas Recursos Multifuncionais (SRMF), espaços físicos localizados nas escolas públicas onde são realizados o Atendimento Educacional Especializado (AEE).

Na rede municipal de Araxá estudam 258 crianças com alguma deficiência. A educação inclusiva tem dado certo na cidade. Dentro da sala de aula, todos recebem atenção da mesma forma, sem diferença entre os estudantes. Nas Salas de Recursos Multifuncionais o aprendizado vira brincadeira. 

O acompanhamento de perto é essencial, segundo a professora Sandra Martins. “Os alunos participam das aulas normalmente nas próprias salas e depois eles recebem em outro horário escolar uma complementação, que fará com que eles compreendam melhor, através do lúdico e de outras atividades”, contou.

A questão na cidade é que existem poucos professores habilitados para este trabalho. “Tem que ter um perfil específico para se trabalhar com as nossas crianças. A Prefeitura atende cerca de 258 crianças que têm dificuldades”, explicou a coordenadora Rosângela Maria de Rezende. 

A solução está em cursos como este e nesse momento os professores viram alunos. Durante a programação, eles tiveram aula de braille. 

“A inclusão precisa acontecer aqui na sala para ela ser vivenciada lá fora. Precisamos trabalhar com os professores para eles passarem para os alunos”, disse o instrutor Marleno Rodrigues de Souza.

Fonte: G1

Regulamentação de lei aumentará incentivo à pesquisa para tratamento de câncer

Imagem ilustrando o símbolo da justiça
As instituições sem fins lucrativos que fazem pesquisa em oncologia e saúde da pessoa com deficiência já podem se cadastrar no Ministério da Saúde para serem beneficiadas pela Portaria 875, que regulamenta a Lei 12.715. Integrante do Programa Brasil Maior, a lei institui, entre outras coisas, o Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica (Pronon) e o Programa Nacional de Apoio à Atenção da Saúde da Pessoa com Deficiência (Pronas-PCD), os dois agora regulamentados pela portaria.
 
De acordo com o chefe de pesquisa clínica do Instituto Nacional do Câncer (Inca) José Alencar Gomes da Silva, o processo de financiamento será similar ao da Lei Rouanet, de incentivo fiscal para projetos culturais.

“Nós já estamos conversando com algumas empresas interessadas em fazer o patrocínio e começamos a preparar os projetos a serem apresentados ao ministério, mas como ainda está muito recente [a publicação da portaria], só devemos contar com esses recursos para o ano que vem”, diz. Órgão do Ministério da Saúde, o Inca coordena uma rede nacional de pesquisa em oncologia, além de ser centro de referência no tratamento e prevenção de câncer.

Serão contemplados no Pronon e Pronas/PCD projetos das áreas de prestação de serviço médico assistencial; formação e aperfeiçoamento e pesquisas clínicas, epidemiológicas e experimentais.

Comissão aprova adequação em parques para pessoas com deficiência

Logo da Acessibilidade
A Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio da Câmara dos Deputados aprovou, na semana passada (quarta, dia 19), o Projeto de Lei 4.498/12, do deputado Major Fábio (DEM-PB), que obriga os parques de diversão a eliminarem barreiras arquitetônicas que dificultem o acesso de pessoas com deficiência ou com mobilidade reduzida aos brinquedos e às demais instalações. 

De acordo com a proposta, os parques também deverão oferecer pelo menos dois brinquedos especialmente projetados para a utilização por essas pessoas.

A relatora na comissão, deputada Rosinha da Adefal (PT do B-AL), defendeu a aprovação da proposta e incluiu no texto a extensão da mesma obrigação aos parques públicos, pois o projeto original se restringia aos privados.

Para a deputada, a determinação não representa “custo instransponível” para os empreendimentos do setor. 

Na sua avaliação, os ajustes arquitetônicos envolvem “pequenas adequações, mas que para os beneficiários da medida representam imenso progresso nos seus direitos de cidadãos, uma garantia de que possam usufruir, em seus momentos de lazer, da mesma estrutura moderna de entretenimento à disposição dos demais cidadãos”.

A proposta tramita em caráter conclusivo e ainda será analisada pelas comissões de Seguridade Social e Família; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.


5º Encontro Internacional de Tecnologia e Inovação para Pessoas com Deficiência será realizado em julho

Logo do 5º Encontro

O 5º Encontro Internacional de Tecnologia e Inovação para Pessoas com Deficiência, evento integrante da Reabilitação – Feira + Fórum, a ser realizado de 31 de julho a 2 de agosto, no Anhembi, em São Paulo, traz como temática “Tecnologia 

Assistiva nos Serviços ao Público”, abrindo espaço para reflexão e debate acerca da importância da aplicação desta área do conhecimento em todos os setores da sociedade, sejam governamentais ou privados, representando ferramental fundamental para que os direitos legalmente garantidos às pessoas com deficiência sejam plenamente exercidos

A ampliação dos recursos e soluções inovadoras nos campos da mobilidade, comunicação acessível, educação inclusiva, automação e controle de ambientes, acessibilidade digital, acessibilidade arquitetônica e urbanística, além de impactar sobremaneira no bem estar das pessoas com deficiência, tornando acessíveis produtos e serviços disponibilizados amplamente no mundo contemporâneo, resultam em benefícios e na melhora da qualidade de vida para toda a população.

Desde sua criação, em 2009, o Encontro Internacional de Tecnologia e Inovação para pessoas com Deficiência tem representado um importante palco de discussão sobre este universo, fomentando o desenvolvimento da cadeia produtiva do setor, buscando multiplicar os canais de informação sobre produtos assistivos e estimular a pesquisa e inovação, assim como gerar subsídios à elaboração de estratégias e políticas públicas que visem à igualdade de oportunidades.

O evento é composto por Seminário Internacional e Exposição de Inovação em Tecnologias Assistivas, reunindo palestrantes e expositores de importantes instituições de ensino e pesquisa do país e exterior, profissionais da saúde, órgãos governamentais, empresas de ponta, entidades da sociedade civil, imprensa, pessoas com deficiência e suas famílias. 

A Exposição de Inovação, com participação dos mais relevantes centros de pesquisa e inovação do país, tem parceria do FORTEC – Fórum Nacional de Gestores de Inovação e Transferência de Tecnologia, apresentando soluções ainda não disponíveis no mercado nacional. 

24 de jun de 2013

Programa Educação para o Trabalho da Coca-Cola FEMSA Brasil forma 130 jovens

 A formatura da 16ª turma do Programa de Educação para Trabalho (PET) já tem data marcada: dia 28 de junho, às 14h30, no Centro de Esporte, Lazer e Cultura, zona Sul de São Paulo. 

O programa é promovido por iniciativa da Coca-Cola FEMSA Brasil, em parceria com as Secretarias Estaduais de Desenvolvimento Social (Seds) e de Direitos da Pessoa com Deficiência, SENAC e o Centro Paula Souza.


Ao longo do programa, com duração de um semestre, os alunos são preparados para identificar suas metas e expectativas pessoais e profissionais, além de atuar no desenvolvimento de competências necessárias para o ingresso no mercado de trabalho.

 “O PET é importante não só para o futuro profissional desses jovens, mas também para a vida pessoal deles, assim como o de suas famílias”, comenta a gerente de Comunicação Externa e Sustentabilidade da Coca-Cola FEMSA Brasil, Andrea Souza Silva.

Com uma proposta renovada, os alunos das turmas do primeiro semestre de 2013 tiveram um desafio diferente para finalizar o curso. 

Se nos outros anos os jovens tinham que realizar, como trabalho de conclusão de curso, um modelo de feira de negócio, agora, cada uma das cinco classes que compõe a turma realizou projetos em benefício de uma instituição social, escolhida pelos próprios estudantes.

“O projeto de intervenção à comunidade visa a melhoria do local. Os alunos criaram projetos que incluem a criação de duas bibliotecas, duas brinquedotecas e realizaram ainda um trabalho de qualificação para o mercado profissional com jovens que cumprem medidas sócioeducativas, entre outras atividades”, explica a professora Patrícia Carnicelli Spadaccini, coordenadora das turmas.


Neste semestre, o programa formará 130 alunos, que estarão mais capacitados e preparados para o mercado de trabalho. 

Desde o início, há oito anos, o PET já beneficiou cerca de 1.800 jovens, com idade entre 15 e 21 anos, de comunidades em vulnerabilidade social do entorno do Parque Estadual Fontes do Ipiranga.

Projeto esportivo oferece aula de judô para pessoas com deficiência em Cabo Frio

Logo da Secretaria de Esporte e Lazer de Cabo Frio
O número de modalidades esportivas para pessoas com deficiência do projeto Crescendo com o esporte aumentou em Cabo Frio, Região dos Lagos do Rio de Janeiro. 

Além da natação, o judô também foi incluído na ação organizada pela prefeitura da cidade. 

A expectativa é que nos próximos meses outras modalidades sejam ensinadas. 

As inscrições para o projeto estão abertas. Para participar basta procurar a Secretaria de Esportes e Lazer do município.

A pratica de esportes garante uma melhor qualidade de vida aos participantes, como é o caso do Felipe Mendes, de 25 anos. 

O jovem, que perdeu a visão há um ano e sete meses em consequência do diabetes, encontrou no judo uma oportunidade de se adaptar a nova vida. 

“Tá ajudando muito na minha coordenação motora, porque, até então, não tinha vontade de está fazendo exercício. Agora eu tenho o sonho de ir para as paraolimpíadas” afirmou  Felipe.
A Secretaria de Esportes e Lazer de Cabo Frio funciona na rua Alemanha, número 154, bairro Jardim Caiçara. 

As inscrições, também, podem ser feitas no Ginásio Poliesportivo Alfredo Barreto. Para fazer a matrícula é preciso levar uma fotografia 3x4, e cópias de certidão de nascimento, comprovante de residência e atestado de saúde. Os cursos são gratuitos.

Professora cria projeto de livros falados para ajudar pessoas com deficiência visual

Foto de AnaLu Palma
Atriz, mestra em teatro e apaixonada por literatura, AnaLu Palma descobriu sua vocação para ajudar o próximo em meio a uma sessão de meditação. 

De olhos fechados e tentando se concentrar no exercício, teve um lampejo: por que não propiciar às pessoas cegas a emoção de ouvir obras dos grandes escritores confortavelmente em casa a partir de gravações de áudio?

A ideia foi o ponto de partida para o Projeto Livro Falado, que poucos dias depois saía do papel com o apoio da Academia Brasileira de Letras

O primeiro clássico a ganhar uma versão gravada pela atriz Léa Garcia foi Esaú e Jacó, de Machado de Assis. 

"Começar o projeto com o autor maior da língua portuguesa nos trouxe sorte", diz AnaLu, que, posteriormente, gravou ela mesma uma versão de Morte e Vida Severina, de João Cabral de Melo Neto, seguida de várias outras obras-primas da literatura brasileira.

Treze anos depois das primeiras gravações, a biblioteca oral imaginada por AnaLu já acumula 360 obras disponibilizadas em formato digital de áudio no portal Acessibilize-se, mantido pela Universidade Estácio de Sá, com o apoio do Ministério da Cultura

Além desses textos, há outros 280 já gravados e, até o fim do ano, mais mil deverão ser incorporados à coleção. 

Para utilizá-la, basta ao deficiente visual se cadastrar no site. "Muitos cegos brasileiros não têm a alfabetização em braile, o que dificulta o acesso aos textos. 

O que queremos com nosso projeto é dar autonomia a qualquer pessoa que se interesse pelas obras", explica AnaLu.

Fonte: Planeta Sustentável - http://planetasustentavel.abril.com.br/

Empresa é advertida por transportar cadeirantes amarrados em Uberaba

Logo da acessibilidade
A Procuradoria Geral do Município de Uberaba concluiu a sindicância para apuração das irregularidades praticadas pela empresa de transporte Líder, que presta serviço à Secretaria de Desenvolvimento Social (Seds) no Transporte Especial de Pessoas Deficientes.

 A empresa será advertida e se comprometeu a doar cadeiras de rodas para a Associação dos Deficientes Físicos de Uberaba (Adefu)

Caso ocorra outro problema, se tornando reincidente, serão tomadas medidas mais severas, segundo a Prefeitura. 

O ônibus foi apreendido no dia 4 de junho depois que a Guarda Municipal (GM) flagrou o transporte de cadeirantes amarrados em cordas no lugar de cinto de segurança.

A sindicância envolveu vistoria ao veículo por parte da Seds, conversas com os usuários e os responsáveis e a confirmação do credenciamento por parte do departamento de fiscalização da Secretaria de Trânsito, autora da autuação. 

O procurador do município Paulo Leonardo disse que ficou acordado que a empresa se ofereceu a contribuir com a Adefu doando duas cadeiras de rodas.

No mesmo dia da apreensão, o prefeito de Uberaba, Paulo Piau, determinou a abertura de sindicância para apurar responsabilidades no caso do ônibus apreendido dentro da operação Escola Segura da Guarda Municipal. 

Ele disse que a situação de risco em que os cadeirantes foram colocados é inadmissível. A gestora do contrato, secretária Ângela Dib, também solicitou a apuração dos fatos.

21 de jun de 2013

Ballet para Cegos Fernanda Bianchini apresenta-se no Ibirapuera

Bailarinos se apresentando na peça A Bela Adormecida
Olhando para Estrelas será apresentado pela Associação de Ballet e Artes para Cegos Fernanda Bianchini, com cerca de 50 bailarinos durante 1h30. 

Serão duas partes: um ballet em três atos de A Bela Adormecida e um divertissiment - números variados de diferentes estilos de dança, inclusive uma performance de ballet apresentada nas Paralimpíadas de Londres 2012. 

O espetáculo recebeu este nome em homenagem a um documentário que está sendo feito com os bailarinos da associação e que será finalizado no dia da apresentação.

Inclusão e acessibilidade. Estas são as palavras que diferenciam o ballet. A começar pelos bailarinos: a maioria deficientes visuais, com outros tipos de deficiências ou sem deficiência alguma. 

Para poder receber de forma adequada os deficientes visuais que irão prestigiar a dança, haverá audiodescrição: tradução em palavras de toda imagem necessária à compreensão do conteúdo audiovisual pelas pessoas que estejam definitiva ou temporariamente impossibilitadas de ver.

Espetáculo ‘Quem tem medo do escuro?’ terá audiodescrição no dia 28 de junho

Atores da peça contracenando
Quem tem medo do escuro? Esta pergunta é, na verdade, o nome do espetáculo da Caravana Companhia de Teatro em cartaz no Centro Cultural São Paulo (CCSP)

No dia 28 de junho a audiodescrição permitirá que pessoas com deficiência visual tenham melhor compreensão de detalhes do cenário, figurino e até mesmo das cenas. 

O roteiro audiodescrito e a audiodescrição são assinados pela Iguale Comunicação de Acessibilidade.

Com entrada gratuita, o espetáculo é um ótimo programa para toda a família, grupos escolares, de instituições, entre outros. 

O tema principal é o escuro, algo que remete lembranças que fazem com que crianças e adultos se identifiquem com seus próprios medos, ilustra Lizette Toledo de Negreiros, da Divisão de Curadoria e Programação do CCSP. 

O adulto, às vezes, camufla esse processo, mas a criança não esconde que tem medos, e os exterioriza por meio da fala e até mesmo de gritos. Tema curioso que aguça a imaginação.

Quanto à audiodescrição, Lizette explica que o recurso faz parte do programa de acessibilidade do CCSP, denominado Livre Acesso, que tem por objetivo programar espetáculos que possam ser acessíveis às pessoas com algum tipo de deficiência. 

“É importante que possam estar integradas à programação cultural, sem exclusão. Que possam usufruir conjuntamente às demais pessoas presentes à plateia, a diversidade da programação. 

A audiodescrição é uma das mais importantes conquistas para assegurar a inclusão sociocultural aos cidadãos com deficiência visual, logo o CCSP tem como meta sistematizar programações com esse recurso para oferecer ao público”, completa.

Eduardo Leite, produtor executivo do espetáculo, conta que este é o primeiro trabalho do grupo com a audiodescrição, e acha que exemplos como este deveriam ser ampliados cada vez mais, por espaços culturais e até mesmo pelas companhias de teatro. 

“É fundamental que pensemos na acessibilidade da pessoa com deficiência visual às produções teatrais. Acredito que a audiodescrição pode ser um elemento a mais a ser incluído, por exemplo, em projetos que se beneficiam de leis de incentivo à cultura”, argumenta. 

Eduardo também acredita que com a inclusão do recurso audiodescrito, haverá mais divulgação dos espaços e espetáculos que o oferecem e, com isso, a sociedade sairá ganhando.

Sorocaba, em SP, é referência no tratamento de autismo


Nesta última terça-feira (18) comemorou-se o Dia do Orgulho Autista. A data serve para conscientizar sobre a síndrome e sobre os tratamentos para os portadores do autismo, um distúrbio que afeta a comunicação e o comportamento. 

Em Sorocaba (SP), foi fundada em 1994 a Associação Amigos dos Autistas de Sorocaba (Amas), com o objetivo de auxiliar no diagnóstico, tratamento e assistência para pessoas que têm a síndrome. Entre as 40 cidades da região, Sorocaba é a pioneira no tratamento especializado do autismo.

A Amas atende jovens e adultos com idade entre 14 e 40 anos de idade em período integral. Além dos atendimentos educacionais, os alunos contam com uma equipe terapêutica, alimentação e transporte. 

Segundo a psiquiatra infantil Cláudia Gomes Antila, o diagnóstico do autismo é complexo e demorado. “Há alguns sintomas característicos como atraso da linguagem, dificuldade do contato visual e comportamento agitado”, explica.

Ainda de acordo com a psiquiatra infantil, o autismo não tem cura, mas o diagnóstico precoce e o tratamento correto podem melhorar o desenvolvimento do paciente. “O tratamento é multidisciplinar e às vezes há a necessidade do uso de medicamento para o controle do comportamento".

Audiência Pública debate o profissional cuidador para pessoas com deficiência

Símbolo da acessibilidade.
Uma audiência pública na Câmara Municipal de São Paulo, na próxima Segunda-Feira (24/6), vai ouvir as demandas de instituições públicas e privadas, associações de classe, profissionais e interessados, sobre o trabalho do cuidador.


Realizado pela deputada federal Mara Gabrilli, com apoio dos vereadores Marta Costa (PSD) e Andrea Matarazzo (PSDB), o encontro vai discutir a questão do cuidador como apoio essencial para a qualidade de vida e inclusão de pessoas com deficiência e idosos.


“É um assunto de extrema importância, pois em algum momento o profissional cuidador irá entrar na sua vida ou de alguém da sua família, mesmo que temporariamente”, afirma Mara Gabrilli. Atualmente, não existe política pública para oferecer o serviço de cuidador para pessoas que necessitam desse suporte. 

“Além disso, falta reconhecimento da profissão e formação profissional adequada”, completa.

Além de colher a demanda que será levada pelos participantes, os seguintes projetos de lei que estão tramitando na Câmara dos Deputados serão debatidos:

- Projeto de Lei nº 5765/2013, que dispõe sobre o auxílio-cuidador, a ser concedido ao segurado que necessitar de cuidador em tempo integral, de autoria da Deputada Mara Gabrilli

- Projeto de Lei nº 4815/2012, que dispõe sobre a criação do Serviço de Apoio Especializado para Atividades da Vida Diária, de autoria da Deputada Mara Gabrilli

- Regulamentação da Emenda Constitucional 72, que entre outros temas, trata da ampliação dos direitos do profissional doméstico;

- Projeto de Lei nº 2880/2008, regulamenta a profissão de cuidador de pessoa, delimita o âmbito de atuação, fixa remuneração mínima e dá outras providências, de autoria do Deputado Otávio Leite

- Projeto de Lei nº 6966/2006, cria a profissão de cuidador, de autoria do Deputado Inocêncio Oliveira

- Projeto de Lei nº 2587/2011, regulamenta o exercício da profissão do atendente pessoal de Deficientes, de autoria do Deputado Edinho Araújo

Os interessados já podem encaminhar suas sugestões sobre os assuntos que desejam abordar e/ou confirmar a presença pelo e-mail contato@maragabrilli.com.br.
 


Audiência Pública sobre o profissional cuidador para pessoas com deficiência e idosos

Data: 24/06/2013
Horário: 14h30 às 17h
Local: Câmara Municipal de São Paulo - Viaduto Jacareí, 100 - 1º Subsolo - Sala Sérgio Vieira de Melo   
Telefone: (11) 3222-220

20 de jun de 2013

Funad faz arraial para pessoas com deficiência na Paraíba

Foto de cadeirantes dançando quadrilha
A Fundação Centro Integrado de Apoio ao Portador de Deficiência (Funad) realizou na tarde da terça-feira (18) um arraial com deficientes físicos da instituição. 


Um dos destaques foi a apresentação da primeira quadrilha sobre rodas do estado. 

O evento contou com a participação de centenas de parentes, servidores e convidados, que se encantaram com a apresentação do projeto. Os ensaios levaram três meses e ocorreram durante quatro horas por semana.

 

A presidente da Funad, Simone Jordão, disse que a quadrilha fará outras apresentações na Paraíba e que a instituição tem ampliado os serviços para atender a demanda. “Incentivamos o projeto desde o início e a quadrilha recebeu diversos convites para apresentação, inclusive estarão sexta-feira no Salão do Artesanato, em Campina Grande. 

De 2011 até agora aumentamos 70% o quadro de usuários da Funad com 1.100 novos integrantes e, consequentemente, ampliamos os serviços e diminuímos a fila de espera”, afirmou.

Entre os admiradores do projeto estava o procurador de Justiça e ouvidor do Ministério Público da Paraíba, Doriel Veloso, que parabenizou a iniciativa da Funad. “O que os meus olhos enxergam aqui, palavras não conseguem substituir. 

É pura alegria nos olhos dessas pessoas que recebem atendimento no lugar certo, onde são acolhidos de braços abertos”, destacou. 

O coreógrafo, mestre folclorista e reabilitador Josinaldo Flores também não escondeu a alegria de observar no palco o esforço transformado em alegria e superação. 

“Foi uma experiência única trabalhar com os cadeirantes, pois o objetivo foi mostrar que eles podem fazer qualquer coisa de maneira adaptada, sem ninguém empurrando suas cadeiras e, acima de tudo, que eles podem fazer o que quiserem sempre”, disse o professor.

O jovem Edson Soares, que foi usuário da Funad durante 10 anos, após adquirir a deficiência, se tornou um instrutor coadjuvante pela experiência que desenvolve nas tradicionais quadrilhas juninas de João Pessoa.
 
“Já dançava quadrilha como cadeirante e através das aulas de teatro e dança que fiz aqui na Funad pude ajudar a treinar meus amigos. Além disso, se apresentar na nossa segunda casa, com a presença da família nos prestigiando e meus amigos me tendo como exemplo por minha experiência a alegria é triplicada”, revelou.
 

Fonte: G1

Cientistas apresentam forma de cura da cegueira parcial

A luta pela cura da cegueira parcial, aquela resultante de degeneração da mácula – o centro do campo visual – causadas por problemas na retina, pode estar perto do fim. Cientistas das universidades Stanford, nos Estados Unidos, e Strathclyde, da Escócia, desenvolveram uma prótese capaz de captar informações visuais e, através de um sistema elétrico, enviá-las ao cérebro. 

A novidade foi publicada nesta terça-feira (18) na revista Nature Communications e no portal da revista Science News.

O sistema, que foi testado inicialmente com ratos de laboratório, com sucesso, é formado por um par de óculos equipados com uma câmera, que ficaria acima do nariz da pessoa. 

Esta envia as imagens captadas para um computador de bolso, que é o responsável por processar a informação visual e enviar lasers infravermelhos para óculos e, consequentemente, para os olhos. 

Dentro dos olhos, mais especificamente na região da retina, há microchips que são estimulados com a entrada do laser infravermelho e convertem os dados para um sinal elétrico que vai para o cérebro, atingindo a região responsável pela visão.

Nesta maneira de cura da visão parcial não é preciso que a pessoa passe por cirurgias. Os chips colocados na retina são parte de um olho biônico que não necessita de fios implantados cirurgicamente, assim como outras próteses de retina já existentes nessa área da medicina. 

De acordo com o médico oftalmologista Marco Areal, integrante do Sindicato dos Médicos do Rio de Janeiro (SindMed-RJ) ainda há poucos estudos no Brasil que trabalhem com a luta contra cegueiras: “

No Brasil, não há nenhuma pesquisa a esse nível, tão avançada, até pelo custo do investimento que chega a muitos milhares de dólares. No entanto, pode ter algum no Brasil que se enquadre nesse projeto de pesquisa, mas a matriz é lá fora”.

Entidades criam canal de TV on-line para deficientes auditivos

Foto dos apresentadores da TV Ines durante o programa
Em parceria com o Instituto Nacional de Educação de Surdos (Ines), a Associação de Comunicação Educativa Roquette Pinto (Acerp) anunciou o lançamento da TV INES, um canal de web TV para surdos

A iniciativa é destinado aos 9,7 milhões de deficientes auditivos em todo o país.

Segundo a Exame, a TV INES, primeiro canal desenvolvido para este público, conta com 12 horas diárias de programação linear — incluindo programas produzidos especialmente para ele, como "Piadas", "Aulas de Libras" e "Tecnologia".

O canal também exibirá atrações adaptadas para a emissora, como "Salto para o Futuro", "Via Legal", "Brasil Eleitor" e filmes e desenhos animados com edição e tratamento visual voltados aos surdos.