31 de mai de 2014

Pegadinha com as pessoas que não respeitam as vagas de estacionamento para pessoas com deficiência

O Canal Boom? fez uma pegadinha com as pessoas que não respeitam as vagas de estacionamento para pessoas com deficiência. 

Temos que fazer mais estas pegadinhas, pois assim a pessoa pensará duas vezes antes estacionar em local proibido!!!!!!

Não faça com os outros o que não gostaria que fizessem com Você!!
 

Veja o video aqui: 





Campanha Contra o Cancer de Pênis



"Falamos muito em saúde da mulher e esquecemos de falar da saúde do homem. Ensinar o óbvio faz parte da educação em saúde. Muitos pensam que só os meninos não sabem limpar seu pênis. Puro engano, pois muitos homens adultos não sabem limpá-lo, e as taxas de penectomia estão aumentando.", explica Thiago França, enfermeiro especialista em oncologia.


Por isso a "Sociedade Brasileira de Urologia" criou uma campanha clara e objetiva  para os homens que vivem na Bahia, estado onde há uma grande incidência do câncer de pênis. 


Vamos derrubar o preconceito e salvar vidas.


Divulgue esta mensagem! 

Você sabe como doar medula óssea?


30 de mai de 2014

Projeto oferece ioga para pessoas com deficiência intelectual e autismo

 

 
A prática da ioga desenvolve as funções psicomotoras e a sensibilização corporal. Percebendo os benefícios interligados entre a saúde física e mental, a Casa de David e incluiu em suas atividades terapêuticas as aulas de ioga para seus assistidos/abrigados.


A instituição é responsável por abrigar, acolher e tratar pessoas carentes com deficiência intelectual e autismo

Há um ano, foi inclusa a atividade por meio dos voluntários Hector Hungria, Luiz Montini e da norte-americana Subagh Kaur Khalsa. 


Cerca de 30 assistidos participam da atividade atualmente em que se trabalha o eixo de equilíbrio, respiração e concentração, e, mesmo com as limitações patológicas, as respostas são rápidas e positivas.


“A assiduidade e a participação deles nas aulas é impressionante. Principalmente a participação dos assistidos com autismo grave. Os pacientes cadeirantes e com paralisia cerebral também participam de forma espetacular. Todos os dias nos deparamos com situações de melhoria de convivência entre eles, sobretudo de surtos, que deixam de acontecer por causa da atividade”, afirma a Coordenadora de Comunicação da Instituição, Cleize Bellotto.


De acordo com Cleize, as alterações positivas nos assistidos são perceptíveis no que diz respeito às mudanças de humor, concentração, desenvolvimento de capacidades físicas como equilíbrio e flexibilidade, além de diminuição da agressividade e a ansiedade dos deficientes. 


Ela também ressalta que, uma das maiores esperanças do projeto em longo prazo é a diminuição dos medicamentos ou das dosagens.


Fonte: Ciclo Vivo


Grupo Paulista da Rede de Leitura Inclusiva promove evento sobre leitura, cidadania e acessibilidade




O Grupo Paulista da Rede de Leitura Inclusiva, articulado pela Fundação Dorina, realiza no dia 6 de junho, às 14h, o evento “Jornada Inclusiva”, na Biblioteca São Paulo


Criado para discutir temas ligados à acessibilidade e inclusão como mobilidade urbana, tecnologias assistivas, cinema e leitura inclusiva, o evento será apresentado de forma dinâmica e participativa. 


Além das palestras e mesa de debate, haverá também um sarau e exibição de um curta-metragem ligado ao tema.

 
A Rede de Leitura Inclusiva é um trabalho mediado pela Fundação Dorina junto a profissionais da leitura, professores e bibliotecários para aproximar as pessoas com deficiência do mundo da leitura. 


O evento contará com audiodescrição e interpretação de libras. Inscrições abertas para agenda@bsp.or.br. Vagas limitadas e abertas ao público em geral.



Museu de Imagem e Som recebe em Campinas mostra criada por cegos e surdos

Foto do Museu de Imagem e Som de Campinas


A exposição 'Um museu feito para nós, por nós', que inclui cerca de 50 fotogramas, móbiles, vídeo, painéis e instalações produzidos por cegos e surdos foi inaugurada nesta terça-feira (27) a partir das 17h30 no Museu de Imagem e Som (MIS) de Campinas (SP)


A visitação, que ocorre até 28 de junho, é gratuita e ocorrerá de terça a sexta, das 10 às 17h, e sábados entre 10 e 16h.


A mostra foi produzida durante um projeto que ocorreu entre maio e junho com cem pessoas portadoras de deficiência visual e auditiva de quatro municípios: Paulínia, Jundiaí e São Paulo, além de Campinas. 


O projeto teve 16 encontros, nos quais os participantes foram apresentados às coleções e temáticas do MIS.
 

Exposição 'Um museu feito para nós, por nós'
 

Quando: Até  28 de junho de 2014 -  (terça a sexta, das 10 às 17h, e sábados entre 10 e 16h).

Onde: MIS Campinas
 
Endereço: Rua Regente Feijó, 859, Centro, Campinas, fone: 3733-8800
 
Entrada: gratuita


Fonte: G1


Ópera terá apresentações adaptadas para pessoas com deficiência visual e auditiva

Foto da cantora Monica Ferracani na apresentação

O Theatro São Pedro (centro) estreia às 20h desta sexta (23) montagem da ópera "Ifigênia em Táuris", tragédia em quatro atos do compositor alemão Christoph Willibald von Gluck (1714-1787).


Ingressos custam de R$ 20 a R$ 60 e podem ser comprados pelo telefone 4003-1212 ou pelo site.


Também serão realizadas récitas nas noites de 28 e 30/5 (às 20h), e de 25 e 1º/6 (às 17h).


As apresentações dos dias 30 e 1º/6 terão recursos de acessibilidade de comunicação para pessoas com deficiência visual (audiodescrição) e pessoas com deficiência auditiva e surdez (legendas e interpretação em Libras).


Baseada em libreto de Nicolas-François Guillard, o espetáculo tem direção cênica do espanhol Gustavo Tambascio e regência do italiano Alessandro Sangiorgi.


A montagem traz no elenco cantores como a soprano argentina Monica Ferracani, no papel principal de Ifigênia, e Luciano Garay, barítono argentino, que fará Orestes.


Também participam brasileiros como Licio Bruno, baixo-barítono no papel do rei de Táuris, Thoas, e Luciana Bueno, mezzo-soprano que interpretará Diana.


O cenário desta releitura contém diversos elementos metalinguísticos, que unem modernidade às figuras mitológicas, referências que compõem um ambiente único.

Sobre a Ópera


"Ifigênia em Táuris" é baseada na tragédia grega de autoria de Eurípedes (485 a.C-406 a.C.) e recria no palco o mito grego.


O rei Agamenon, pouco antes de partir para a guerra de Tróia, consulta o oráculo de Diana e descobre que os ventos não lhe serão favoráveis.


Se ele quisesse obter sucesso, o preço a ser pago seria o sacrifício da própria filha Ifigênia.

 
Theatro São Pedro -


Endereço:  Rua Dr. Albuquerque Lins, 207, Barra Funda, centro, São Paulo, SP. 

Telefone: 0/xx/11/3667-0499.
 
Dias 23, 28 e 30/5: 20h.
 
Dias 25/5 e 1º/6: 17h. 

Valores: R$ 20 a R$ 60 (estudantes, aposentados, pessoas acima de 60 anos e professores da rede pública estadual: R$ 10 a R$ 30).
 
Ingressos:  pelo  4003-1212 ou www.ingressorapido.com.br


Fonte: Folha


29 de mai de 2014

Evento promove Inclusão Social e Profissional de Pessoas com Deficiência, em SP


No dia 30 de maio, das 10h às 16h, o Centro Cultural São Paulo será palco do Dia D, evento voltado para Inclusão Social e Profissional das pessoas com deficiência e dos beneficiários reabilitados.


Serão oferecidos serviços como informações e orientações para trabalhadores com deficiência, ciclo de palestras, empresas cadastrando currículos, entre outros.


Será possível também se inscrever em cursos do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (PRONATEC).



Silvana Cambiaghi arquiteta da Comissão Permanente de Acessibilidade (CPA), órgão ligado a Secretaria da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida (SMPED), apresentará a palestra “Acessibilidade como ferramenta na Inclusão ao Trabalho”, ás 14h.



O Centro Cultural São Paulo fica na Rua Vergueiro, 1.000, ao lado do Metrô Vergueiro. Participe das palestras e candidate-se a uma vaga no mercado de trabalho
 


Programação



10:00 às 11:00h - Abertura
 
11:00 às 11:40h - PRONATEC Viver sem Limite: uma oportunidade para a qualificação profissional de Pessoas com Deficiência - Raquel Pacagnella , Consultora do PRONATEC Viver sem Limite/São Paulo
 
12:00 às 12:40h - Inclusão da Pessoas com Deficiência visual no mercado de trabalho – Antonio Carlos Barqueiro, Consultor de Relações Institucionais da Laramara
 
13:00 às 13:40h - INSS
 
14:00 às 14:40h - Acessibilidade como ferramenta na Inclusão ao Trabalho” - Silvana Cambiaghi, arquiteta da Prefeitura Municipal de São Paulo
 
15:00 às 15:40 - A fiscalização da Lei de Cotas: a caracterização das Pessoas com Deficiência - José Carlos do Carmo Auditor-Fiscal do Trabalho Coordenador do Projeto de Inclusão da Pessoa com Deficiência SRTE/SP – MTE





Governo da Paraíba realiza Dia D de Inclusão para pessoas com deficiência

Foto do cartaz do Dia D


Nesta quinta-feira (29), será realizado na Fundação Centro Integrado de Apoio à Pessoa com Deficiência (Funad) o Dia D de Inclusão Social e Profissional das pessoas com deficiência. 


O evento é realizado pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Humano (Sedh), Funad, Sine Estadual e de João Pessoa, em parceria com o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e o Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência.


Também é parceiro nesta iniciativa o Instituto Nacional de Seguro Social (INSS/JP) e a Secretaria de Direitos Humanos (SDH/PR)


O objetivo do evento é promover a inserção da pessoa com deficiência em uma oportunidade de trabalho. A ação foi realizada com êxito em dois estados do Brasil.


A principal estratégia do Dia D é dedicar um dia inteiro de atendimento para a inclusão da pessoa com deficiência (PcD) e do beneficiário reabilitado no mercado formal de trabalho, reunindo no mesmo espaço as empresas que vão disponibilizar vagas e os trabalhadores candidatos a uma oportunidade de emprego.


A ação visa o atendimento, não só à pessoa com deficiência, como também do beneficiário reabilitado – pessoa que tenha cumprido o Programa de Reabilitação Profissional pelo Instituto Nacional de Seguro Social – INSS. O reabilitado, ao final do programa, recebe do INSS um certificado que lhe garante esta condição.


A Lei Federal nº 8.213/91 (Lei de Cotas) obriga as empresas com mais de 100 funcionários a incluírem pessoas com deficiência (PcD) ou beneficiário reabilitado no seu quadro de efetivos e o MTE atua para que essa contratação se dê da melhor maneira possível, incentivando e cobrando das empresas sua responsabilidade legal e social, de modo a proporcionar às pessoas com deficiência e aos beneficiários reabilitados o acesso a uma vaga no mercado de trabalho em igualdade de oportunidades.


De acordo com o Censo 2010, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população do Brasil é composta por 45 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência, o que corresponde a quase 24% do total da população brasileira. 


De acordo com os dados da Relação Anual de Informações Sociais – RAIS 2012, 330 mil estão no mercado formal de trabalho, o que corresponde a 0,70% do total de vínculos empregatícios em todo o Brasil.




Sine terá dia dedicado as pessoas com deficiência em unidades do RS

Foto de carteiras de trabalho
O Sistema Nacional de Emprego (Sine) terá nesta quinta-feira (29) o atendimento concentrado em pessoas com deficiência e beneficiários reabilitados pelo INSS em 36 unidades no Rio Grande do Sul. 


A data será conhecida como "Dia D", dedicado à inclusão das pessoas com deficiência no mercado de trabalho.


Por lei, as organizações devem reservar até 5% das vagas para portadores de deficiência. 


No entanto, a relação anual de informações sociais aponta que deficientes representam apenas 0,7%.


Segundo o Censo de 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Rio Grande do Sul tem mais de 2,5 milhões pessoas com algum tipo de deficiência. O número corresponde 23% da população.


Confira a lista completa das unidades do RS que vão participar do 'Dia D':


- Alegrete
 

- Alvorada

- Arroio dos Ratos

- Bagé

- Bento Gonçalves

- Bom Jesus

- Caçapava do Sul
 

- Cachoeirinha

- Canoas


- Caxias do Sul

- Charqueadas
 
- Estrela

- Farroupilha
 
- Frederico Westphalen
 
- Guaporé
 
- Igrejinha
 
- Lajeado
 
- Nova Prata
 
- Osório
 
- Palmeira das Missões
 
- Parobé, Pelotas
 
- Portão
 
- Porto Alegre (Montaury e Tudo Fácil Zona Norte)
 
- Salvador do Sul
 
- Santo Antônio da Patrulha
 
- Santa Cruz do Sul
 
- Santana do Livramento
 
- São Gabriel
 
- São Leopoldo
 
- São Lourenço do Sul
 
- Soledade
 
- Vacaria
 
- Veranópolis


Fonte: G1


Agências incentivam a contratação de pessoas com deficiência

Foto de carteiras de trabalho
As agências do trabalhador de Paranavaí, Umuarama e Cianorte, na região noroeste do Paraná, realizam, nesta quinta-feira (29), atendimento especial para pessoas com deficiência ou reabilitados pelo Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) que buscam uma oportunidade de emprego. 


O atendimento diferenciado ocorre no Dia Nacional da Contratação da Pessoa com Deficiência.


A data foi estipulada para incentivar empresas com mais de 100 funcionários a contratarem pessoas com mobilidade reduzida, já que uma lei federal obriga as empresas desse porte a reservarem de 2 a 5% dos cargos para esse público.


A Agência do Trabalhador de Paranavaí fica na Rua Marechal Cândido Rondon, 1701, no centro. O atendimento ao público é realizado das 8h às 16h, e o telefone para contato é o (44) 3421-2650.


Em Umuarama há 21 vagas abertas para pessoas com deficiência na Agência do Trabalhador. A Agência está localizada na Avenida Rio Branco, 4211 e começa as atividades a partir das 8h30. Para entrar em contato basta ligar para o telefone (44) 3621-1100.


A agência de Cianorte está localizada Avenida Paraná, nº 510 e os atendimentos serão feitos das 8h30 às 11h30 e das 13h30 às 17h30.


Empresas dispostas a abrirem vagas para esse público podem entrar em contato com as agências pelos respectivos telefones.


Fonte: G1


28 de mai de 2014

Pesquisa da UFSJ busca reabilitar pessoas que perderam movimentos

Foto do aparelho desenvolvido pela UFSJ


Em uma pesquisa desenvolvida na Universidade Federal de São João del Rei (UFSJ), no Campo das Vertentes, pequenas placas de um sistema elétrico são capazes de mudar a vida de pessoas com deficiência. 


As placas são sensores que levam estímulo elétrico do músculo do antebraço, responsável pelos movimentos dos dedos, para uma mão robô, por exemplo. 


O objetivo dos estudantes é aplicar a pesquisa na reabilitação de pessoas que por algum motivo perderam os movimentos, e ainda na indústria, para garantir mais segurança ao trabalhador.


Já se foram um ano e seis meses de estudo e testes em um laboratório do Núcleo de Tecnologia Assistida. 


A tecnologia mede e identifica as variações de impulsos elétricos nos músculos e responde ao estímulo. 


“A gente trabalha com três eletrodos. Um deles é referência, e com os outros a gente mede a diferença de potencial no músculo desejado. 


A partir desse nível, quando há movimento, a gente calibra para a pessoa”, explicou a pesquisadora Gabriela Reis.


A ideia é imitar os movimentos humanos da melhor maneira possível a custos mais baixos do que os encontrados no mercado. 


“Usamos sucata de parabólica e algumas peças bem mais baratas”, disse o doutorando em Biomecânica, Marcos Abdalla.


Os sensores de inércia mandam as informações para um computador e um programa que utiliza lógica estatística avalia o estímulo e envia a ordem para o robô, o que permite uma melhor resposta do movimento no ambiente em que está.


Parte do equipamento ainda é utilizada em outras duas pesquisas, que também estão voltadas para a reabilitação de pessoas com deficiência. 


“A ideia é saber como o paciente que tem alguma deficiência no antebraço está evoluindo”, afirmou o pesquisador Daniel Nolasco.


Fonte: G1


Em caminhada para testar acessibilidade em Joinville (SC), cadeirante cai ao descer calçada

Foto de um Smartphone


O aplicativo Bus Alert, que informa por áudio a distância e os horários dos transporte coletivo, será testado em três ônibus da linha Norte/Sul de Joinville


A ferramenta foi apresentada na 4ª Caminhada Cívica da Acessibilidade na manhã de nesta terça-feira, na rua Santa Catarina, no bairro Floresta.


O objetivo foi chamar a atenção das autoridades sobre as dificuldades que as pessoas com deficiência enfrentam por causa das irregularidades das calçadas e falar sobre a importância da implantação do aplicativo no transporte coletivo.


O Bus Alert irá beneficiar, principalmente, pessoas cegas ou com dificuldade de locomoção, mas será útil para toda a população. 


O aplicativo permite que os usuários consultem a distância em que o ônibus se encontra do ponto em que ele está, ao informar o número da linha que deseja pegar.


O sistema foi testado pelo presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Comde), Paulo Sérgio Suldoski, no Terminal Sul.


Ele já tinha feito o download no celular e digitou o número da linha Norte/Sul. Como é cego, o aplicativo informou, por áudio, quanto tempo faltava para o ônibus parar no ponto dele. 


A grande novidade é que quando o ônibus parou na plataforma em que estava, o motorista chamou Paulo pelo nome. Isso ocorreu porque o Bus Alert também contempla um aparelho no veículo, que informa quando há um usuário com deficiência esperando.


— Esta ferramenta irá humanizar o transporte coletivo e será uma revolução para as pessoas cegas ou cadeirantes que dependem dos ônibus — destaca Paulo.


Para o especialista em acessibilidade e assessor do Comde, Mario Cezar da Silveira, a ferramenta é de fundamental importância para os usuários. 


Além disso, destaca a importância de se rever a falta de acessibilidade das calçadas, pois 23% da população de Joinville têm algum tipo de perda funcional. 


O objetivo do Comde é de que o aplicativo seja implantado no transporte coletivo de Joinville na licitação ou na prorrogação do contrato do serviço.


Seis vereadores e representantes de instituições públicas da cidade também fizeram o trajeto que pessoas cegas costumam fazer ao sair do Terminal Sul até chegar à sede da Associação Joinvilense para Integração do Deficiente Visual (Ajidev). 


Eles participaram da caminhada usando ou empurrando uma cadeira de rodas, com muletas, de olhos vendados e guiados por cegos e com pesos nas pernas para simular a perda muscular dos idosos.
 

Cadeirante tomba no percurso


Durante a caminhada na rua Santa Catarina, uma cadeirante se desequilibrou e caiu ao descer a rampa de uma calçada. Por causa da inclinação, bastante acentuada, Clarice do Carmo Freitas, 37 anos, tombou em cima de uma boca de lobo. Apesar do susto, não se machucou.


— Se a gente não pedir ajuda, não tem como descer das calçadas. A minha coluna já está prejudicada por causa da falta de acessibilidade das calçadas e ruas de Joinville — reclama.
Clarice contou com a ajuda de amigos para se levantar e continuar o percurso. 


Ela ficou paraplégica há 14 anos, em um acidente de trabalho. Hoje, Clarice tem uma rotina com várias atividades. Superou a depressão por meio do esporte e agora é bailarina, cursa faculdade de dança e é professora.


Fonte: A Notícia
 

Inaugurada academia adaptada para pessoas com deficiência em Monte Mor (SP)

Foto de uma academia adaptada
 

Monte Mor (SP) ganhou neste sábado (24) a primeira academia ao ar livre com equipamentos adaptados para pessoas com deficiência


Conquistada por meio de convênio firmado entre a Prefeitura Municipal e o Governo do Estado de São Paulo, por intermédio da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, a academia foi inaugurada com a participação de autoridades e da população montemorense.


Localizada na Rua Aniceto Muniz Alves, no bairro Jardim Paulista, ao lado do Centro de Referência da Assistência Social (CRAS), a academia ficará aberta de segunda à sexta-feira, das 8 às 17 horas. O prefeito Thiago Assis (PMDB) comentou sobre mais essa conquista para o município. 


“Nossas obras são voltadas para as pessoas, para as famílias, e esta não é diferente. As pessoas com deficiência de Monte Mor têm a oportunidade agora de praticar exercícios físicos em uma academia ao ar livre especialmente adaptada para elas”, afirmou. 


O prefeito informou ainda que outras academias ao ar livre serão implantadas em breve no município, tanto na região dos bairros como na região central.


No total, são dez equipamentos diferentes disponibilizados na academia adaptada: máquina de tríceps; máquina de bíceps; máquina supino vertical; máquina remada sentado; máquina abdominal; máquina twist; jogo de barras; jogo de barras paralelas; máquina giro de punho; e bicicleta de mão. 


A diretora de Desenvolvimento Social, Sandra Medeiros, também falou sobre a importância da academia no atendimento das pessoas com deficiência. 


“Fizemos um levantamento e esta é a região com maior número de pessoas com necessidades especiais. Acredito que será de grande valor para elas, trazendo qualidade de vida e a possibilidade de se fazer exercícios físicos, de fortalecer os membros superiores principalmente”, explicou. 


Ela informou ainda que a academia contará todas as quartas-feiras com a presença de um orientador físico.


De acordo com a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, o objetivo da academia é melhorar a qualidade de vida das pessoas com deficiência com o favorecimento da reabilitação física; estimular à prática de esportes em equipamentos adaptados compatíveis às necessidades físicas e patológicas do usuário; utilizar o esporte como meio de promoção da inclusão social, além do resgate e estímulo da autoestima promovendo a cidadania.


Também estiveram presentes na solenidade de inauguração, a primeira-dama e presidente do Fundo Social de Solidariedade, Flávia Beckedorf, os secretários municipais Vilson Ribeiro Amaral (Planejamento e Obras) e Adelício Paranhos (Segurança e de Defesa Civil), diretores municipais, vereadores, servidores públicos municipais e população em geral.




Espetáculo de dança de cadeirantes chega em Cabo Frio, no RJ

Foto do espetáculo de dança da Cia


Inspirada em histórias de superação, a Cia Corpo em Movimento, criada na Andef (Associação Niteroiense dos Deficientes Físicos) há 14 anos, selecionou sucessos para levar ao palco do Teatro Municipal de Cabo Frio, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro


O espetáculo ‘Cinema Autoral’ será na próxima quarta-feira (28), às 19h, com entrada gratuita mediante senha entregue 30 minutos antes das apresentações.


A superação, tema escolhido pela coreógrafa da Cia, Camila Rodrigues, está presente em cada um dos filmes escolhidos: Gonzaga, Homens de Honra, À Procura da Felicidade e Os Intocáveis (entre outros). 


“O Cinema nos encanta e nos remete a grandes lembranças e busca por realizações futuras. Inspira-nos a ser um ser humano melhor todos os dias e a valorizar as pequenas coisas da vida, como um simples olhar, afeto ou sorriso”, afirma.


A trilha de Cinema Autoral pretende elevar o pensamento dos espectadores às atitudes no modo de encarar a vida, na grande forma de transpor barreiras, baseado em muito amor, garra, dedicação e superação. 


Em sintonia está o próprio objetivo do Grupo, que tem seis cadeirantes e sete andantes em sua formação, que é mostrar uma diferente imagem da pessoa com deficiência, permitindo um redimensionamento social de seus próprios corpos, reduto maior do estigma e do preconceito. 


Ao mesmo tempo, sua composição mista sugere uma reflexão sobre os caminhos de inclusão deste segmento, desde que respeitadas as suas especificidades.
 
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Cia Corpo em Movimento - Espetáculo Cinema Autoral  

Local: Teatro Municipal de Cabo Frio (Rua Aníbal Amado do Valle, Algodoal - Cabo Frio)
Data: 28 de maio  
Horário: 19h


Fonte: G1


27 de mai de 2014

Shoppings de Salvador terão 10% das mesas reservadas para pessoas com deficiência

 

Aos poucos, pessoas com alguma deficiência física estão tendo seus direitos garantidos e respeitados. 


Foi aprovado, por unanimidade pela câmara municipal de Salvador, na quarta-feira (21), o projeto de lei do vereador Leo Prates (DEM) que obriga a reserva de 10% das mesas e cadeiras para consumidores específicos.


Cerca de 500 mil pessoas sofrem com algum tipo de deficiência em Salvador, segundo informou a presidente da Associação Baiana de Deficientes Físicos (Abadef) , Luiza Câmera.


A lei 5.296/04, que regulamenta a legislação da acessibilidade, garante a inclusão de pessoas com deficiência física na sociedade, mas elas se sentem excluídas. 


O direito de ir e vir, garantido pela constituição, não é cumprido na capital para essa parte da população. O principal problema enfrentado pelos deficientes é a falta de acessibilidade na metrópole.


A ideia veio do dia a dia do vereador. “Minha rotina é ir almoçar nos shoppings da capital e cada vez mais encontrava idosos e gestantes sem ter um local adequado para sentar. 


Em todas essas vezes, levantei e dei o lugar. São pessoas que vivem um momento especial da vida e precisam de qualidade de vida.”
 

Reserva
 

O plano é dar obrigatoriedade da reserva de mesas e cadeiras para idosos, deficientes físicos e gestantes, nas praças de alimentação dos shoppings centers, centros comerciais e restaurantes do município de Salvador, e dá outras providências.


Para o presidente da Associação Brasileira de Shopping Center - Bahia, Edson Piaggio, a medida só tem a trazer coisas positivas. 


“Facilitar a mobilidade das pessoas é um interesse dos shoppings, os deficientes, gestantes e idosos têm que ser olhados como consumidores e como cidadãos.”


Apesar disso, Piaggio alerta para o modo de fiscalização da lei. “Os shoppings vão fazer as mudanças necessárias, mas não temos o poder de punir quem infringir aquela reserva.”


O Procon e o Codecon atuarão em conjunto fazendo a fiscalização dos estabelecimentos e em caso de não cumprimento das regras os shoppings serão notificados, multados e poderão até ter o alvará de funcionamento caçado.


O projeto, que contempla também os idosos e gestantes, deve ser regulamentado em 90 dias pela prefeitura. Após o prazo, os estabelecimentos têm mais 90 dias para se adequarem à Lei. 




Primeiro celular em braille do mundo é lançado com preço popular

Foto dos celulares em braille


A empresa britânica OwnFone lançou oficialmente na última segunda-feira (19) o primeiro celular em braille do mundo, que custa 60 libras (cerca de R$ 223), no Reino Unido.


Para quem não sabe ler em braille, o smartphone ainda oferece uma cobertura opcional com teclas de letras em alto relevo no teclado.


Voltado para quem tem deficiência visual, ele é fabricado todo com impressão 3D, segundo o seu inventor Tom Sunderland. 


Em entrevista à BBC, ele diz que o método foi suficiente para criar os botões personalizados em braille de maneira rápida e econômica. O design do gadget, por sua vez, é bem arredondado, e ele está disponível em várias cores.


“O telefone pode ser personalizado com dois ou quatro botões pré-programados para ligar para amigos ou serviços de emergência. É o primeiro telefone com teclado impresso em 3D, e para quem não sabe ler Braille, podemos imprimir textura e texto em alto relevo”, conta o inventor do aparelho.


Quem deseja comprar um telefone tem que entrar no site da companhia e criar um design customizado de acordo com as necessidades pessoais. 


Vale lembrar que uma empresa indiana já fez um protótipo de smartphone com braille em 2013, porém, esse é o primeiro que, de fato, acaba saindo do papel.


Fonte: Techtudo


Mogi das Cruzes ganha a primeira 'residência inclusiva' do Alto Tietê

Foto de um desenho de uma casa com símbolos da acessibilidade


Mogi das Cruzes ganhou a primeira Casa Inclusiva do Alto Tietê e a sexta do Estado de São Paulo


A proposta é acolher pessoas que tenham entre 18 e 59 anos com algum tipo de deficiência e sem vínculo familiar. A triagem é feita pela Secretaria Municipal de Assistência Social.


A residência fica no bairro Mogilar, em Mogi das Cruzes. Além de ganhar uma nova familia, os moradores da casa também estudam e  praticam diversas atividades. 


Para os beneficiados, o projeto é mais uma conquista na luta pelos direitos das pessoas com deficiência.


"Acolhemos pessoas com deficiência e não com doença, porque existe uma grande confusão. Pessoas com alto grau de vulnerabilidade e sem retaguarda familiar são aceitas", explica Valeriana Alves, coordenadora da pessoa com deficência.


Informações sobre a Casa Inclusiva podem ser obtidas na Secretaria de Assistência Social. O endereço é Avenida Vereador Narciso Yague Guimarães, 776, Centro Cívico, em Mogi das Cruzes.


Fonte: G1


Metrô reabre licitação para implantar acessibilidade em 21 estações do DF

Foto do metrô do Distrito Federal


O Metrô reabriu nesta segunda-feira (26) a licitação que prevê a implantação de acessibilidade em 21 estações do Distrito Federal


A concorrência já havia sido anunciada em março, mas precisou ser refeita, segundo a presidente da comissão que a conduz, Cleonice Silva, depois que a empresa que venceu o certame foi desclassificada por não apresentar a documentação necessária. As obras devem durar 165 dias, por preço estimado de R$ 1,8 milhão.


As reformas preveem instalação de rampas, pisos táteis e sinalização nas estações mais antigas. 


Com isso, apenas a 102 Sul, 112 Sul e Guará ficam excluídas da obra. De acordo com a autarquia, as adaptações atendem à Lei Federal 10.048, que determina que pessoas com deficiência, idosos e gestantes tenham atendimento adequado em empresas que prestam serviços públicos. 


Ainda segundo o Metrô, 140 mil pessoas usam o serviço diariamente. A estação com maior fluxo é a Central, na Rodoviária do Plano Piloto, por onde passam 20 mil pessoas todos os dias. 


A autarquia prevê a ampliação do sistema, além da construção da primeira estação da Asa Norte. Os projetos estão sendo analisados pela Caixa.


Fonte: G1


26 de mai de 2014

Cadeirantes têm dificuldades com falta de acessibilidade em Juiz de Fora (MG)

Foto de uma calçada esburacada
 

Cadeirantes de Juiz de Fora reclamam que passam dificuldade nas ruas pela falta de acessibilidade, sem transporte adaptado e rampas. Mesmo quando há o acesso, problemas ainda existem. 


O telespectador Almir Bittencourt enviou ao VC no MGTV fotos de uma rampa na Rua Jacarandá, no Bairro Amazônia, mostrando que há uma erosão no asfalto que impede a subida da cadeira de rodas. 


A Secretaria de Obras informou que irá realizar uma vistoria no local até o final da semana. Já o Departamento Municipal de Políticas para Pessoas com Deficiência e Direitos Humanos informou que é realizado um trabalho conjunto com as secretarias competentes para as melhorias necessárias na cidade.


O músico Luciano Jorge de Oliveria também enfrenta dificuldades com a acessibilidade no Bairro Ipiranga. Ele precisa da ajuda de amigos para chegar até o ponto de ônibus. A rua íngreme não tem adaptação necessária. 


“Eu tenho muita dificuldade porque eu moro na parte alta e eu preciso sempre de alguém comigo. Às vezes, não tenho uma pessoa para me ajudar e acabo perdendo o que tenho que fazer no Centro”, contou.


Além disso, Luciano disse que é preciso muita paciência para esperar o ônibus adaptado devido à demora. Para entrar e sair do veículo, ele precisa da ajuda do motorista. Os problemas aumentam quando ele precisa chamar um táxi. 


“Eu ligo, falo que sou cadeirante e, às vezes, falam que não dá para atender porque a cadeira não cabe no carro. Tem os adaptados, mas eu nunca vejo. Andei uma vez só nele”, reclamou.


O funcionário público João Carlos Reis disse que precisou fazer reivindicações para conseguir ônibus adaptado em horário que coincida com a aula da filha cadeirante. “Nós tínhamos algumas dificuldades porque antes havia somente um ônibus de apoio na linha Guaruá. 


Depois de alguns Boletins de Ocorrência (BO) e conversas com a Secretaria de Transportes e Trânsito (Settra), hoje temos dois ônibus e parece que agora a empresa faz a manutenção”, informou.


Para chegar ao colégio no Bairro Granbery, João Carlos precisa percorrer com a filha um trecho onde parte dos passeios não tem formas regulares e apresentam buracos. 


“Além disso, ao atravessar a Rua Sampaio e depois a Batista de Oliveira, não existe rampa onde são as faixas de pedestre. Então, ela tem que atravessar no meio da rua e eu tenho que pedir aos motoristas que parem. Tenho que fazer o papel de polícia. E muitas vezes os motoristas desrespeitam”, reclamou.


A estudante Pryscila Loureiro Reis, filha de João Carlos, acredita que há formas de realizar melhoria nas ruas para os cadeirantes. 


“Deveria ter mais rampas nesse cruzamento e tinham que arrumar essas faixas de pedestres, colocar talvez um sinal, algo que dê mais segurança para portadores de necessidade especial, idosos e crianças”, cobrou.


A chefe do Departamento Municipal de Políticas para Pessoas com Deficiência e Direitos Humanos, Thaís Altomar, informou que é realizado um trabalho conjunto com as secretarias competentes para as melhorias necessárias na cidade. 


“Nós recebemos algumas denúncias, denúncias que são comuns, e a partir daí a gente começa a trabalhar com essa conscientização. Os táxis precisam de ter um melhor atendimento, um entendimento melhor das nossas necessidades para utilização desse transporte. Os ônibus precisam ter uma consciência melhor do tempo que demoramos para entrar, para sair, além de todo conjunto que envolve, ponto de ônibus, acesso aos locais onde a gente pode acessar o serviço”, disse.

 
Segundo Thaís Altomar, o trabalho essencial é o de conscientização. “Nós já fazemos a conscientização junto aos motoristas de ônibus e trocadores e estamos iniciando também um trabalho com os taxistas. Aumentar a frota sem uma conscientização de nada vai valer”, explicou.


Fonte: G1