31 de jan de 2013

Instituto Autismo do Amazonas habilitado a realizar convênios com o Governo do Estado

 
O Instituto Autismo do Amazonas, instituição filantrópica criada em 2011, obteve o título de utilidade pública estadual e agora está habilitado a receber apoio financeiro do Governo do Estado

A novidade foi anunciada pelo governador do Amazonas em exercício, José Melo, que prestigiou na manhã desta quarta-feira, dia 30 de janeiro, a inauguração da sede do Instituto, localizada na zona centro-oeste de Manaus, que atende crianças e adolescentes autistas

“Até pouco tempo esta instituição não tinha a documentação suficiente para conveniar com o Governo, mas agora eles já conseguiram e se tornaram legalmente uma instituição sem fins lucrativos. Eles estão, agora, perfeitamente habilitados a acessar os recursos do Fundo de Promoção Social do nosso Governo”, afirmou José Melo.

De acordo com o governador em exercício, o Instituto Autismo do Amazonas já recebeu orientação para dar entrada na documentação junto ao Fundo de Promoção Social (FPS), que tem como presidente de honra a primeira-dama do Estado, Nejmi Jomaa Aziz. Somente após a apresentação do projeto, o FPS fará a análise da solicitação e deliberará de que maneira o Instituto será beneficiado.


Ainda segundo José Melo, a política social do Estado prioriza, conforme determinação do governador Omar Aziz, as pessoas especiais, a exemplo dos autistas, “O governo do Omar tem se preocupado com isso, nossa política estadual atende crianças excepcionais que precisam de tratamento diferenciado. Nós temos várias secretarias que trabalham nesse sentido”, pontuou Melo.


Para o diretor-presidente do Instituto Autismo do Amazonas, Joaquim Melo, o apoio do Governo será substancial para a ampliação do número de atendimentos. 

Atualmente a instituição tem capacidade para atender 40 pessoas semanalmente. Recebem apoio psicológico e nutricional, por meio de terapias, atividades lúdicas e de educação física, crianças a partir de 3 anos de idade, além de adolescentes.
 

Uma das principais necessidades da instituição, segundo Joaquim, é a aquisição de um terreno próprio. 

“Esta sede é alugada e futuramente queremos adquirir um terreno próprio para fixar a sede do Instituto. Temos certeza que agora, com tudo legalizado, teremos o apoio que precisamos do Governo. Vamos dar entrada o quanto antes”, disse.

Não há números oficiais, mas a estimativa é que existam 20 mil autistas em todo o Amazonas.

Apoio Voluntário – O Instituto Autismo no Amazonas está precisando de ajuda para mobiliar a sede e também de itens para terapia das crianças e adolescentes autistas. A entidade também necessita de material de expediente e de limpeza.

Entre os itens para estruturação da sede estão: geladeira, fogão, condicionador de ar, armários, prateleiras, bebedouro, mesas para escritório, cadeiras, entre outros.

Para o tratamento oferecido aos autistas, a entidade precisa de espelhos, brinquedos pedagógicos, livros e DVDs infantis, tapetes emborrachados, bolas de pilates, cadeiras infantis, cama elástica etc.

O governador do Amazonas em exercício, José Melo, disse que a ajuda deve partir de toda a sociedade. “Essa é uma tarefa de todos, por isso peço a todos que possam contribuir que façam uma doação. Esse é um bom momento para aqueles que têm bom coração”, ressaltou José Melo.

O Instituto Autismo no Amazonas fica na rua Coronel Brito, número 321, conjunto Santos Dumont, bairro da Paz, zona centro-oeste. Os telefones de contato são (92) 8116-7411 e 9164-2776. Outras informações no site www.autismonoamazonas.com.

IV Seminário Mineiro sobre Autismo

 

Dia: 23/03/2013  

Horário: 08h às 17h

Local: Auditório Nominato - Av. Presidente Carlos Luz, 220 - Caiçara - Belo Horizonte - MG  

E-mail: contato@creativeideias.com.br  

Telefone: (21) 2577 8691 | (21) 3246 2904 | (21) 8832 6047 | (31) 8636 1392
PÚBLICO-ALVO:

Familiares, Mediadores (Estagiários, Monitores e/ou Facilitadores), Professores, Advogados, Nutricionistas, Psicólogos, Psicopedagogos, Fonoaudiólogos, Pedagogos, Terapeuta Ocupacional, Estudantes de Graduação e/ou Pós e demais interessados no assunto, além de profissionais das áreas de educação e saúde.

PALESTRANTES:

Psicopedagogia Aplicada ao Autismo

Cristina B. Silveira - Psicanalise: FAFICH-UFMG, Arte-terapia: UNAR-SP, Educação Inclusiva-UEMG, Artes plásticas-UEMG e Psicopedagoga.
(Assista a entrevista da Cristina Silveira no MGTV 1ª Edição)


Tratamento Nutricional
 
Dra. Geórgia Regina Meneses Fonseca - Médica com residência em Pediatria e Desenvolvimento Infantil. Pós graduação em Homeopatia pelo IHB/ RJ. Especalização em Homeopatia nos Distúrbios Mentais pela SOHERJ/RJ. Formação em saúde Mental pela FIOCRUZ/RJ. Membro Diretor da Federação Brasileira de Homeopatia. Professora do Curso de Pós -Graduação em Homeopatia da FHB/RJ. Pediatra e Homeopata da Secretaria Estadual de saúde do RJ. Coordenadora do Ambulatório de Autismo da FHB. Primeiro prêmio Orgulho Autista Brasil 2005 na categoria Medicina Alternativa. Autora do primeiro trabalho mundial relacionando autismo e homeopatia com avaliação por PEP_R.

Direitos da Pessoa com Deficiência
 
Juiz Michel Curi - Graduado em Direito pela PUC/MG; Procurador-geral da Holding denominada Sistema Usiminas de 1992 a 1997; Ingressou na Magistratura em 1997, sendo eleito o Orador da turma de juízes; Professor Universitário desde 2002; Foi Indicado pela Câmera dos Deputados para o cargo de Ministro do CNJ em 2007; Foi diplomado pela Fundação Getúlio Vargas e pela UFMG em dezenas de cursos, incluído o de Filosofia do Direito. Atualmente ocupa os cargos de: Juiz de Direito da Comarca de BH; Coordenador da Central de Apoio Jurisdicional do Fórum de BH; Membro do Comitê de Avaliação de Cooperação Jurisdicional da Corregedoria-Geral de Justiça; Secretario Geral da Associação dos Magistrados Mineiros - AMAGIS. Agraciado com o título de Comendador (Colar Alferes Tiradentes), em Ouro Preto no dia 15/11/2012; É Articulista voluntário dos jornais Estado de Minas e Correio Brasiliense desde 2006 e Escritor com 126 artigos publicados.

Isadora Adjuto - Mestranda em Psicologia do Desenvolvimento pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Graduada em Psicologia pela Universidade FUMEC. Trabalha com psicologia clínica, atendendo através da abordagem cognitivo-comportamental crianças, adolescentes e adultos. Experiência em intervenções com crianças portadoras de Síndrome de Asperger e Autismo utilizando-se do método ABA (Análise do Comportamento Aplicada) e Treinamento de Pais.
 
INVESTIMENTO:
• ATÉ 22/02/13 - de R$ 80,00 por:

R$ 70,00 - individual (cartão)
R$ 60,00 - individual (depósito)
R$ 50,00 - grupo (depósito) - cada inscrito a partir de 4 pessoas

• ATÉ 20/03/13 - de R$ 80,00 por:
 
R$ 80,00 - individual (cartão)
R$ 70,00 - individual (depósito)
R$ 60,00 - por inscrito (depósito) - grupo a partir de 4 pessoas

 

INSCRIÇÃO:
Investimento: R$ 70,00

 

Grande São Paulo tem mais de 170 vagas para pessoas com deficiência

Mão segurando carteira de trabalho
Nesta semana, o programa Emprega São Paulo/Mais Emprego, agência de empregos pública e gratuita gerenciada pela Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho (SERT), em parceria com o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), oferece, por meio do Programa de Apoio à Pessoa com Deficiência (PADEF), 175 postos de trabalho na Grande São Paulo.

Para o preenchimento das vagas os itens escolaridade e experiência variam de acordo com a área de atuação e com a empresa.

Como se cadastrar

Para ter acesso às vagas, basta acessar o site www.empregasaopaulo.sp.gov.br , criar login, senha e informar os dados solicitados. Outra opção é comparecer a um Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT) com RG, CPF, PIS e Carteira de Trabalho.

É importante que o usuário mantenha seus dados de cadastro atualizados para não perder oportunidades de trabalho e para ter acesso aos programas de qualificação da SERT, como o  Time do Emprego e o Programa Estadual de Qualificação (PEQ), por exemplo.
 
Sobre o Emprega São Paulo/Mais Emprego

Desde a implantação do Emprega São Paulo, em agosto de 2008, o programa conseguiu recolocação profissional para mais de 700 mil trabalhadores e 3,5 milhões de currículos foram cadastrados.

Para mais informações sobre o Emprega São Paulo/Mais Emprego, acesse: www.empregasaopaulo.sp.gov.br

Instituto da Oportunidade Social abre segunda fase de inscrições para cursos gratuitos de capacitação para jovens e pessoas com deficiência


O Instituto da Oportunidade Social (IOS) abriu as inscrições em 28 de Janeiro (até 08 de Fevereiro) para as novas turmas dos cursos de capacitação profissional gratuitos, direcionados aos jovens de 15 a 24 anos e pessoas com deficiência a partir de 16 anos. Para concorrer às vagas, os interessados devem estar matriculados no Ensino Médio ou já tê-lo concluído em escola da rede pública.

O IOS já empregou mais de 1600 jovens em 2,5 anos por intermédio de seus cursos profissionalizantes baseados em tecnologias como ERP, Folha de Pagamento, Automação Comercial e CRM. 

Por meio dos cursos é possível adquirir conhecimentos de Windows XP, pacote Microsoft Office, internet, comunicação, expressão e cálculo matemático, além de participar de Workshops. Para acompanhamento das aulas, são disponibilizados materiais didáticos e camisetas sem custos.

As aulas serão iniciadas em Fevereiro de 2013 e concluídas em Julho. Após o Trabalho de Conclusão de Curso, se aprovados, os alunos serão certificados e poderão ocupar vagas de Auxiliar Administrativo, Atendimento Call Center e Suporte em Informática em diversas empresas parceiras, sob supervisão e acompanhamento da entidade. 

Para efetuar as inscrições, os jovens devem comparecer a uma das unidades do IOS que conta com mais de 20 espalhadas pelo Brasil, com sede em São Paulo, na Rua Alferes Magalhães, 256 – Santana, próximo ao Metrô Santana. 

As outras unidades estão situadas em Itaquera, Diadema, Santana, Jardim Ângela, Sumaré, Carapicuíba, além de Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Manaus, Paraná, Mato Grosso e Goiás.
 

No ato da inscrição é necessário ter em mãos os seguintes documentos: ficha de inscrição preenchida (disponível no site www.ios.org.br/inscricoes), RG, CPF do aluno e responsável, atestado de escolaridade, comprovantes de residência (água, luz e telefone) e rendimentos dos pais ou responsável. Menores de 18 anos devem estar acompanhados.
 

Para outras informações sobre local, data e horário de atendimento, entre em contato com o IOS através do e-mail inscricoes@ios.org.br ou pelos telefones (11)2503-2617 e (11) 2503-2618.
 

Sobre o Instituto da Oportunidade Social (IOS)

O Instituto da Oportunidade Social busca, apoia e monitora a empregabilidade de jovens e pessoas com deficiência, que tenham menor acesso às oportunidades do mercado de trabalho. Fundado em 1998, o IOS já capacitou mais de 20 mil jovens.

30 de jan de 2013

Jovem com deficiência auditiva luta para cursar faculdade com intérprete em M

Uma família em Campo Grande (MS) luta para que uma jovem com deficiência auditiva realize o sonho de cursar uma faculdade. Tábata Rodrigues Nogueira, de 20 anos, foi aprovada em um processo seletivo para o curso de Ciências Biológicas, mas a instituição não dispõe de intérpretes da Língua Brasileira de Sinais (Libras).

A universidade particular alega que a responsabilidade de contratar um intérprete é da estudante. Tábata, que sempre estudou em escolas públicas com a ajuda de intérpretes, tem deficiência auditiva profunda. Mesmo diante das dificuldades, a jovem não desistiu de estudar e garantiu a matrícula na instituição.

A família da jovem procurou a Defensoria Pública, que deve buscar um acordo com a universidade antes de ingressar com ação judicial

O Subcorregedor-Geral do órgão, Francisco Carlos Bariani, avalia que a recusa da instituição de ensino fere princípios constitucionais, e alerta que outros estudantes em situação semelhante podem procurar a Defensoria. O telefone do órgão é 129, e a sede em Campo Grande fica na Rua Antônio Maria Coelho, 1668, centro.

A instituição também firmou, no último dia 22 de janeiro, um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o Ministério Público Federal (MPF/MS), em que se compromete a garantir acessibilidade para alunos com deficiência visual, auditiva e física. No caso dos acadêmicos com deficiência auditiva, o acordo prevê que a universidade proporcione intérprete de língua de sinais durante as aulas.

Fonte: G1

Guarujá (SP) garante estudo bilíngue para deficientes auditivos


 
A Prefeitura de Guarujá é pioneira no avanço da qualidade de ensino mais uma vez. O Município instituiu um novo cargo dentro do organograma da Secretaria de Educação: instrutores de Libras para atuarem no atendimento educacional especializado para o ensino desta língua. 

Os instrutores começarão nas quatro escolas pólos da cidade no inicio do ano letivo. Para o início da implantação, três instrutores, dois surdos e um ouvinte, ministrarão o ensino de LIBRAS.
 

 A rede municipal segue as recomendações do Ministério da Educação (MEC), e os instrutores atuarão no Programa de Educação Bilingue favorecendo o uso e a difusão da LIBRAS como língua de instrução além de ministrar aulas na educação infantil e no ensino fundamental.
Segundo a Coordenadora de Educação Especial, Ana Maria Lopes da Nova, o novo cargo veio para melhorar a educação dos deficientes auditivos. “Garantir esse direito é reconhecer a identidade da pessoa surda e favorecer o seu pleno desenvolvimento como cidadão”.
 

Na rede municipal existem 75 alunos surdos ou com deficiência auditiva, da creche à educação de jovens e adultos, distribuídos nas escolas pólos Profª Dirce Valério Gracia (Av. Dom Pedro I, 340, Jardim Tejereba), Prof. Antonio Ferreira de Almeida Júnior (Rua Marivaldo Fernandes, s/n, Jardim Tejereba), Dr. Napoleão Rodrigues Laureano (Av. Oswaldo Aranha, 365, Jardim Maravilha) e Benedita Blac Gonzalez (Rua Rio Solimões, s/n, Jardim Boa Esperança).

Projeto flexibiliza cota para pessoas com deficiência em empresas

Mulher com headset
A Câmara analisa o Projeto de Lei 4773/12, do ex-deputado Thiago Peixoto, que flexibiliza a obrigação de empresas com pelo menos cem funcionários destinarem parte dos postos de trabalho a pessoas com deficiência.

Atualmente, a Lei 8.213/91 determina que essas companhias reservem de 2% a 5% de suas vagas a quem tem alguma deficiência.

A proposta do ex-deputado permite que o preenchimento dessas vagas seja feito mediante a concessão de bolsas de estudo, com valor mensal igual ou superior a um salário mínimo, concedidas pela empresa à pessoa com deficiência.

Pelo texto, essa possiblidade será permitida desde que o número de bolsas concedidas não supere a metade das vagas de trabalho a serem preenchidas; e o bolsista seja contratado pela empresa após a conclusão do curso, por um período não inferior a um ano.

As bolsas de estudo deverão obrigatoriamente se referir a curso de capacitação cujo conteúdo tenha relação com o serviço a ser exercido pela pessoa na corporação.

Reabilitação
 
Peixoto afirma que o sistema de habilitação e reabilitação de cidadãos com deficiência para o mercado de trabalho ainda é precário no Brasil. Na opinião dele, o preenchimento de parte das vagas só será cumprido se existir mão de obra qualificada “em número suficiente para o preenchimento das referidas cotas”.
 
Tramitação
 
O projeto, que tramita em caráter conclusivo, será analisado pelas comissões de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio; de Trabalho, de Administração e Serviço Público; de Seguridade Social e Família; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Estacionamentos: Direito de idosos e pessoas com deficiência

Vaga demarcada para pessoa com deficiência
Afirmar o direito do idoso e do deficiente em poder estacionar nas vagas especiais é o um dos objetivos da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT), Aracaju (SE). 

Com fiscalização intensiva, os agentes da mobilidade estão sempre nas ruas, impedindo que outras pessoas que não possuem autorização, ocupem as vagas de estacionamento direcionadas legalmente a quem tem mais de 60 anos e deficientes físicos.

Segundo a supervisora de trânsito, Leila Maria, os agentes sempre estão nas ruas para assegurar que todos tenham acesso as vagas como regue a lei. 

"Nossos agentes motociclistas sempre estão nas ruas, buscando visualizar quem está infringindo a lei. Vamos até a estacionamentos de supermercados, vias públicas e aplicamos as medidas administrativas necessárias. Nós também contamos com a ajuda das pessoas que denunciam através do Disk Trânsito, pelo nº 118 e nos avisam sobre alguma ocorrência", pontua.

Os estacionamentos em vagas especiais só são permitidos para pessoas que possuem a credencial oficial e permitida pela SMTT. O documento é pessoal, intransferível e deve estar sempre no painel do veículo ou em um local visível do carro. Se for confirmado que existe outra pessoa que utilizou esse documento para estacionar em uma vaga especial, sem a presença da pessoa credenciada, o documento é imediatamente suspenso.

Segundo as resoluções 303 e 304/08 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), as vagas de estacionamento devem ser obrigatoriamente destinadas aos idosos e deficientes. Desta forma, todas as cidades brasileiras têm a obrigatoriedade de reservar 3% das vagas de estacionamento público para idosos e 2% para deficientes.
  
Documentação

A credencial para vagas especiais é específica para pessoas com idade igual ou superior a 60 anos e pessoas com deficiência física, visual ou com algum tipo de síndrome. Para obter a credencial, é necessário cópias dos seguintes documentos: Registro Geral (RG), Cadastro de Pessoa Física (CPF), cartão do Sistema Único de Saúde (SUS) e comprovante de residência. Para as pessoas com deficiência, deve ser apresentado também o laudo médico constatando diagnóstico, Classificação Internacional de Doenças (CID), carimbo e assinatura do médico especialista.

A credencial pode ser adquirida no serviço de atendimento ao público, na sede da SMTT, rua Roberto Fonseca (antiga rua G), nº 200, bairro Inácio Barbosa, no horário das 7 às 17 horas e também pelo telefone 3179-1416 ou no Centro de Atendimento ao Cidadão (CEAC) do Shopping Riomar, de segunda à sexta, das 7h15 às 17:45 e sábado, das 7h15 às 12h45.
 
Infração

Ainda segundo o Código de Trânsito Brasileiro, Lei 9.503/97, em seu Art. 181, inciso XVII, estacionar em vagas para deficientes e idosos é infração leve, com três pontos na carteira de habilitação e pagamento de multa de R$ 53,20, para os motoristas que ocupam de forma irregular uma vaga especial. Em alguns casos, o veículo também pode ser removido do local.







29 de jan de 2013

Governos paulista e federal anunciam Centro Paraolímpico Brasileiro

Nadador em piscina 
 
Na última sexta-feira (25) aconteceu o anúncio oficial da construção do Centro Paraolímpico Brasileiro, no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo. O Centro, quarto do gênero no mundo, terá 94 mil m² e será instalado no Parque Fontes do Ipiranga, na capital paulista.

Inúmeras autoridades estiveram presentes, entre elas a presidente da República, Dilma Rousseff, a secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Linamara Rizzo Battistella, o governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, e o ministro dos Esportes, Aldo Rebelo.

Em sua fala, Linamara Battistella falou sobre a importância de um Centro como esse, que além de ter impacto no esporte, terá também na saúde. "O projeto é inovador, reúne em um só parque condições de alojamento e laboratório avançado de avaliação da condição física”.

A secretária apresentou ainda um vídeo com todas as informações sobre o espaço, que contará com sete ambientes, além de centro aquático, piscina olímpica e semiolímpica, academia para apoio, condicionamento físico e pista de treinamento. 

A primeira etapa do projeto tem previsão de início de licitação em maio deste ano e a segunda etapa está prevista para novembro.

O governador Geraldo Alckmin destacou a presença dos atletas do Time São Paulo e lembrou-se do aniversário da capital paulista, comemorado na mesma data. "São Paulo nasceu em torno de uma capela e de uma escola, e não há melhor maneira de comemorar o aniversário de São 

Paulo com outra escola, uma grande escola que é o Centro Paraolímpico Brasileiro. Quero cumprimentar nosso “Time São Paulo”, nossos atletas, que são nossa grande inspiração”.

A presidente Dilma Rousseff ressaltou que o Centro é a preparação para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro de 2016. “Precisamos garantir instalações que vão dar sustentação para que tenhamos, não somente dentro das quadras, mas fora delas, aquele desempenho que o Brasil quer ter”.
 

Projeto reforça atendimento prioritário a idosos, gestantes e pessoas com deficiência

Pessoa andando passa na frente de uma pessoa em cadeira de rodas
Está pronto para votação, em caráter terminativo, na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH), projeto de lei que destina metade dos guichês e caixas para atendimento ao público a idosos, gestantes, mães com bebês de colo e pessoas com deficiência

Do senador Ivo Cassol (PP-RO), o Projeto de Lei do Senado (PLS) 101/2012 altera a Lei 10.048/2000, que criou o atendimento prioritário.

O objetivo é evitar que pessoas com direito a prioridade no atendimento acabem ficando mais tempo na espera do que as demais, o que acaba acontecendo em razão de os estabelecimentos destinarem apenas um guichê para esse público.

 
A proposta acrescenta dois artigos à lei para determinar que se destine, no mínimo, metade dos postos, caixas, guichês, linhas ou atendentes especificamente para atendimento prioritário. O benefício é oferecido a pessoas com deficiência, idosos com idade igual ou superior a 60 anos, gestantes, lactantes e pessoas acompanhadas por crianças de colo. 

Os caixas e similares destinados ao atendimento prioritário também poderão atender ao público em geral, mas somente quando não houver pessoas que se enquadrem no caso de prioridades.
O projeto determina ainda que, caso não haja guichês específicos para o atendimento prioritário, esse atendimento deve ser feito imediatamente após a conclusão do atendimento que estiver em andamento, antes de quaisquer outras pessoas.


Para o autor da proposta, na prática, o atendimento prioritário conta com poucos guichês e caixas, o que acaba por demorar mais do que o atendimento ao público em geral.


O relator da proposta na CDH, Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR), deu parecer favorável ao projeto. Para Mozarildo, talvez por falta de educação social e jurídica, não se vê hoje, nos estabelecimentos comerciais, bancos e hospitais, entre outros, a disponibilidade de postos especiais de atendimento em quantidade suficiente, nem a necessária organização de prioridades, para fazer cumprir as normas existentes. Dessa forma, o projeto seria “justo e meritório”. A proposta está pronta para a pauta de votações da CDH.

Negócios voltados a pessoas com deficiência florescem com inclusão no mercado

pessoa utiliza calculadora
Um tiro que levou durante sequestro-relâmpago em 2001 fez com que as viagens de Ricardo Shimosakai, 44, tornassem-se um desbravamento à procura da melhor maneira de conhecer outros lugares sobre uma cadeira de rodas.

As primeiras que fez foram para jogar tênis de mesa, acompanhado por uma equipe. Quando foi disputar competição em Curitiba, decidiu ficar mais um pouco na casa de uma amiga e sentiu que era capaz de viajar sozinho.

Quem via as fotos das viagens se interessou: "Começaram a perguntar como eu fazia, a pedir que organizasse viagens".

Foi esse o início do que mais tarde virou a Turismo Adaptado, uma agência de viagens voltada para pessoas com deficiência. Desde 2004, Shimosakai desenvolve roteiros que pensam nas necessidades do viajante.

Ele diz que, para montar os roteiros, liga para os hotéis, verifica o preparo do local, se tem elevadores etc.

Oito anos depois de seu início, as atividades da Turismo estão suspensas porque Shimosakai avaliou não estar conseguindo atender a demanda.

O plano é retomar as viagens neste ano, em parceria com a agência Viamercosul.

INDEPENDÊNCIA

Para o criador da Turismo Adaptado, a maior independência do público com deficiência favorece o seu negócio: "O pessoal tem seu próprio dinheiro e decide o que quer fazer".

Entre a oferta de produtos e serviços para esse nicho que se aquece conforme mais pessoas são incluídas no mercado de trabalho (325.291, de acordo com dados da Rais divulgados em 2012), estão carros adaptados, escolas de idioma especializadas e equipamentos eletrônicos que facilitam o dia a dia.

Para facilitar o acesso a esses produtos, foram criadas linhas de crédito especiais, como a do Banco do Brasil, para a compra de produtos para pessoas com deficiência no valor de até R$ 30 mil.

Segundo o BB, desde o lançamento da linha, em fevereiro de 2012, foram desembolsados R$ 16 milhões em 3.333 operações.

Exemplo dessa demanda por produtos para o setor é a Reatech (Feira Internacional de Tecnologias em Reabilitação, Inclusão e Acessibilidade), uma das maiores do setor e que realiza em São Paulo, em abril, sua 12ª edição. No ano passado, foram cerca de 300 expositores.

A Auto Escola Javarotti acompanha esse crescimento. Especializada em preparar condutores com deficiência física, usa carros adaptados. A empresa tem sete unidades, quatro na capital paulista e as demais na Grande São Paulo. A próxima unidade será aberta em Guarulhos.

Para o coordenador de Relações Institucionais da Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo, Cid Torquato, o aumento do poder aquisitivo da população com deficiência fez crescer a oferta de serviços e produtos.

Porém, diz Torquato, ainda existe uma demanda reprimida no Brasil por produtos mais sofisticados, especialmente os digitais.

Segundo ele, ainda é caro e burocrático lançar um produto no mercado e as lojas especializadas, em geral, trabalham com produtos simples, quase hospitalares.

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br

Vagas de trabalho para pessoas com deficiência em Araçatuba (SP)

Mão segurando uma carteira de trabalho


Os Postos de Atendimento ao Trabalhador (PATs) da região de Araçatuba (SP) têm oportunidades de emprego para pessoas com deficiência. São 99 vagas distribuídas nos PATs de Araçatuba, Ilha Solteira (SP) e Birigui (SP).

Ilha Solteira concentra o maior número de postos com 30 vagas para ajudante geral, 12 vagas para operador de empilhadeira, cinco para pedreiro, cinco para ajudante de pedreiro e uma para promotor.

Em Araçatuba, existem vagas para auxiliar administrativo e de escritório, alimentador de linha de produção, auxiliar de manutenção predial, borracheiro auxiliar, motorista de caminhão, operador de telemarketing e telefonistas estagiários.
Birigui tem apenas cinco vagas, todas para auxiliar de produção.

O atendimento nos PATs é das 8h às 17h. Os candidatos devem levar: RG, CPF, PIS, carteira de trabalho, laudo médico com o Código Internacional de Doenças o (CID) e Audiometria (no caso de deficiência auditiva).
 
Mesmo que o interessado não tenha os laudos solicitados, o PAT dá orientações para retirada da documentação. O cadastro também pode ser feito no site do Emprega São Paulo/Mais emprego para concorrer às vagas e cursos de qualificação.

Fonte: G1

28 de jan de 2013

Projeto garante prioridade a pessoa com deficiência na entrega de unidades habitacionais

mão segura uma casa

Está pronto para votação na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) projeto da senadora Ângela Portela (PT-RR) que confere às pessoas com deficiência, ou com mobilidade reduzida, prioridade nos procedimentos de distribuição e aquisição dos apartamentos térreos localizados nos conjuntos habitacionais de interesse social.

O projeto (PLS 78/2011) já foi aprovado na Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo (CDR), com parecer favorável do senador Ciro Nogueira (PP-PI). Como será examinado pela CDH em caráter terminativo, se for aprovado, poderá seguir para a Câmara dos Deputados, sem passar pelo Plenário. A relatora do projeto na CDH, senadora Ana Rita (PT-ES), apresentou parecer com voto favorável.

A proposta da senadora Ângela Portela pretende fazer valer duas determinações constitucionais: a que estabelece o direito social à moradia, fixado no art. 6º, e a que institui, no art. 203, IV, o direito das pessoas com deficiência à “promoção de sua integração à vida comunitária”.

“O acesso à moradia digna, direito de todos, tem sua relevância evidenciada no caso das pessoas com deficiência ou com mobilidade reduzida, para as quais a precariedade das condições habitacionais acentua a dificuldade de sua necessária integração social”, diz Ângela.

Ela afirma que a moradia em locais inadequados, como encostas de morros, terrenos alagadiços e outras áreas comumente ocupadas pelas populações excluídas, "torna-se especialmente danosa para os que dependem de uma cadeira de rodas e de outros auxílios para a sua locomoção”.

O princípio da igualdade dos direitos, afirma Ângela Portela, possibilita um tratamento distinto para grupos que não têm as mesmas condições dos demais. “Nesse sentido, incumbe ao legislador assegurar eficácia às normas constitucionais que determinam a proteção especial das pessoas com deficiência, que, segundo o IBGE, representam 14,5% da população brasileira”.

Pessoas com deficiência poderão ter reduzidos limites para a concessão de aposentadoria

Cédulas de Real
A Comissão de Constituição e Justiça deve analisar em breve o projeto de lei complementar (PLP 277/05) que reduz os limites de tempo de contribuição e de idade para a concessão de aposentadoria para pessoas com deficiência. Hoje estas pessoas acabam se aposentado por invalidez ou pelas regras gerais.

O projeto já passou pela Câmara, mas foi modificado no Senado. A relatora do texto na Comissão de Seguridade Social, onde o projeto foi aprovado no final de 2012, deputada Rosinha da Adefal, do PTdoB de Alagoas, explicou que o Senado apenas alterou um pouco os tempos de contribuição.

Para deficiências graves, o tempo de contribuição do homem passaria dos atuais 35 para 25 anos. Para as mulheres, a redução seria de 30 anos para 20. Os tempos serão maiores para deficiências moderadas e leves.

Para Rosinha da Adefal, que é cadeirante, o texto deve ser aprovado logo para reparar uma injustiça:

"A gente se incluiu no mercado de trabalho, provou que é capaz, e de repente a gente é aposentado por invalidez. E na verdade essa invalidez ocorreu em virtude do excesso, do desgaste, por conta da deficiência."

O autor do projeto, o hoje vereador de Belo Horizonte Leonardo Mattos, do PV, também cadeirante, afirma que a regulamentação da lei terá que ser bastante precisa para diferenciar os tipos de deficiência:

"Mas ainda mantém um caráter de subjetividade que é: O que é um deficiente profundo, severo? 

O que é um deficiente leve ou moderado? Qual é o efeito desta deficiência na capacidade laborativa? Então essas questões subjetivas ainda precisarão ser analisadas pelos peritos do INSS."

A aposentadoria por idade é reduzida em 5 anos independentemente do grau da deficiência. Leonardo Mattos lembra que o projeto, que é uma determinação constitucional, foi bastante negociado com o governo porque a Previdência Social não tem um cálculo preciso sobre a quantidade de pessoas que poderão ter direito imediato à aposentadoria com a nova lei.

Além da Comissão de Constituição e Justiça, o texto ainda terá que passar pela Comissão de Finanças e Tributação e pelo Plenário.

Fonte: http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/radio

Honda Civic é eleito melhor carro para pessoas com deficiência

Honda Civic

O Honda Civic foi eleito o Melhor Carro para a Pessoa com Deficiência em pesquisa realizada com leitores da "Revista Nacional de Reabilitação", publicação que aborda assuntos como inclusão e acessibilidade de pessoas com deficiência e mobilidade reduzida. Em 15 edições, é a nona vez que em que a linha Civic é premiada e a 13ª vez que a marca Honda é destaque na avaliação com um de seus modelos.

Outros modelos já foram premiados antes – o Fit uma vez e o City em três anos consecutivos. São considerados nos veículos itens como acessibilidade a comandos do painel, espaço interno, funcionalidade e visibilidade, dirigibilidade, adaptações, relações custo-benefício, tecnologia, atendimento e entrega do veículo pela rede de concessionárias.

Para atender a esse público, desde 1997 a Honda mantém em sua rede de concessionárias o programa Honda Conduz. Dentro das exigências do programa, além de vendedores treinados, as concessionárias Honda têm vagas de estacionamento demarcadas, rampa de acesso ou elevador, além de banheiro adaptado. Desde o início do programa, já foram vendidos mais de 52 mil carros para pessoas com deficiência.


Empresa abre 50 vagas de emprego para pessoas com deficiência no CE

Aperto de mãos com pessoas olhando o gesto

Uma empresa de aço abriu vagas para 50 pessoas com deficiência em sua sede, localizada no município de Caucaia (CE)

As vagas são para as áreas administrativas, comercial e produção no Grupo Aço Cearense. Os candidatos deverão ter acima de 18 anos e estar com Ensino Fundamental completo.

De acordo com a seleção da empresa, não é necessária experiência anterior de trabalho. A oportunidade oferece salário compatível com o mercado, plano de saúde, transporte da empresa, refeição no local de trabalho e cartão alimentação.

Os interessados devem entrar em contato pelo número (85) 3521-8354 ou enviar currículo para os e-mails debora.oliveira@acocearense.com.br e daniela.cavalcante@acocearense.com.br .

Fonte: G1

24 de jan de 2013

Passista com deficiência auditiva desfila em escola de samba do ES

Foto ilustrativa de baianas dançando

Aos 15 anos, a passista Brunna Ramos Messias, que desfila pela Grêmio Recreativo Unidos da Piedade, em Vitória (ES), chama a atenção por onde samba

Quem vê o ritmo invejável e todo o gingado de Brunna demora a acreditar que a jovem nasceu com deficiência auditiva, aos seis meses de gestação. 

O pai de Brunna, o intérprete de apoio Bruno Messias, contou que, segundo os médicos, tanto o nascimento prematuro, quanto o fato de já ter duas pessoas com deficiência auditiva na família podem ter contribuído para o problema da jovem.

Com o tempo, o pai, que sempre esteve envolvido com o samba, passou a levar a menina aos ensaios da agremiação. "Ela acompanha a escola desde os dez anos. Quando eu ia ensaiar, ela sempre queria ir junto, para ver. Eu a levava para curtir e ela começou a pegar gosto e ficou", conta Bruno.

Ainda segundo Bruno, quem vê a passista em ação chega a duvidar da deficiência. "Muita gente que conhece ela há muito tempo às vezes tenta falar com ela normalmente, porque esquece que ela tem deficiência auditiva. Quando as pessoas a veem sambando, fica mais difícil ainda de acreditar", relata.

A própria Brunna explica o seu gingado e ritmo, por meio da Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS), e o pai traduz. "Ela diz que quando a bateria começa a tocar, sente no chão a vibração e começa a sambar", disse.

A passista mora com a avó, a aposentada Wanda Ramos, que transmite a mensagem deixada pela neta. "Ela chama as pessoas para sambarem também, porque as pessoas com deficiência auditiva têm condições, sim, de interagir com todo mundo", destaca.

Fonte: G1