30 de jul de 2015

Advogada com paralisia cerebral lança blog sobre questões ligadas à acessibilidade e à inclusão



A maioria de nós conhece ou, ao menos, já ouviu falar em Fernando Fernandes, Lars Grael, Herbert Viana, Lais Souza, Mara Gabrilli, Marcelo Rubens Paiva, Osmar Santos, Stephen Hawking ou em outras personalidades que, por algum motivo, se tornaram pessoas com deficiência.


O fato é que o Brasil, segundo dados do IBGE, tem mais de 45,6 milhões de cidadãos com deficiência, seja visual, auditiva, física, intelectual, múltipla, transtornos globais de desenvolvimento ou superdotação. 


E, dentre estes, grande parte já nasceu com alguma deficiência e, por isso, tem impressões distintas de quem se tornou cadeirante, por exemplo, por acidente ou doença.


Mas, onde estão essas pessoas? Como convivem na atual sociedade? Como são tratadas? Quantas delas são bem-sucedidas? Será que são felizes? Conseguem sonhar, ter vaidades, ambições, planos, relacionamentos, vaidades etc.?


Foram essas e outras questões que inspiraram a criação do novo site Caminho Acessível, idealizado por Nathalia Blagevitch, advogada paulistana de 24 anos, que nasceu com paralisia cerebral e, por isso, tem mobilidade reduzida no lado direito do corpo.


A proposta do Caminho Acessível, segundo Nathalia, é difundir e trocar informações sobre variados temas ligados à acessibilidade e à inclusão, de maneira leve e sem ‘coitadismos’. 


“O sucesso e a felicidade dependem apenas da vontade de conquistar algo e, sempre que necessário, tentar outra vez. Por isso, quero aproveitar este novo espaço na web para divulgar não apenas as novidades que vemos na grande mídia, mas também para falar sobre pessoas comuns, desconhecidas pela maioria, que têm dificuldades e sucessos cotidianos.”


PARCERIAS EM BUSCA DE ACESSIBILIDADE



Graças ao patrocínio da Deloitte, por meio do programa DeloitteInclui, o Caminho Acessível foi desenvolvido pela Espiral Interativa – agência paulista especializada em projetos digitais ligados à inclusão e acessibilidade. 


Assim, o novo site foi concebido a partir da integração de recursos que facilitam a navegação de pessoas com deficiência, obedecendo às especificações do padrão W3C.


Dentre os vários projetos sociais e de conscientização apoiados pelo DeloitteInclui – que promove, desde 2009, a inclusão de profissionais com deficiência no mercado de trabalho –, destacam-se o patrocínio ao atleta André Brasil, o livro Maria de Rodas e a biografia Tente Outra Vez, livro que relata a vida de Nathalia Blagevitch e promete inspirar uma sociedade mais inclusiva.


De acordo com Simone Freire, diretora da Espiral Interativa, a Web é um meio extremamente inclusivo, desde que esteja preparado para receber todos os tipos de visitantes. 


"Você convidaria um cadeirante para uma visita, sendo que existe uma enorme escadaria na entrada do seu prédio?", provoca, acrescentando que incentivar a construção de ambientes digitais preparados para atender a todos, de acordo com os padrões já estabelecidos, é uma questão moral.


Outro recurso de acessibilidade do Caminho Acessível é o WebLibras, software criado pelo premiada ProDeaf, que traduz textos on-line do português para a Língua Brasileira de Sinais (Libras) – o segundo idioma oficial do país (http://ow.ly/rfuF7), praticado por mais de 5 milhões de cidadãos.


A ferramenta funciona de forma simples e intuitiva, como uma “espécie de Google Translator”. Para ativá-la, é preciso clicar sobre o símbolo internacional da surdez (orelha azul cruzada por um traço branco) – e, se necessário, o próprio sistema indicará a instalação de um plug in. Depois disso, basta selecionar o trecho desejado e a tradução será feita por Artur, um avatar em 3D.


O diretor do ProDeaf, Flavio Almeida, explica que o WebLibras é uma maneira rápida e econômica de facilitar o acesso de milhões de brasileiros fluentes em Libras ao conteúdo on-line. 


“Temos de lembrar que o Brasil é um país bilíngue e cerca de 2,7 milhões de cidadãos desconhecem a Língua Portuguesa.”


Nathalia conta que o envolvimento de parceiros já experientes em projetos ligados à pessoa com deficiência contribuiu bastante com a concepção do Caminho Acessível que ela, até então, apenas idealizava. 


“Antes de lançarmos o site, passamos por um período de testes com usuários e colaboradores que nos trouxeram um retorno bem positivo, com relação aos recursos de acessibilidade, às ferramentas de publicação e aos sistemas de comunicação.”

 

BRASILEIROS COM DEFICIÊNCIA



Segundo dados do IBGE, mais de 45,6 milhões de brasileiros têm algum tipo de deficiência (visual, auditiva, física, intelectual, múltipla, transtornos globais de desenvolvimento ou superdotação). 


Ao cruzarmos este dado com a média de 3 integrantes por família, segundo a mais recente Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílio (Pnad), temos de considerar que os temas mobilidade e inclusão fazem parte do dia a dia de quase 140 milhões de brasileiros (incluindo apenas as famílias, sem contar educadores, médicos e profissionais, em geral, que oferecem atendimento frequente a essas pessoas).


SOBRE NATHALIA BLAGEVITCH

 


Mesmo depois de muitas negativas em sua vida, Nathalia é bastante ativa e tem um cotidiano convencional de uma jovem de 24 anos. Ou seja, é vaidosa, curte roupas e acessórios, estuda, trabalha, faz muitos planos, frequenta cinemas, pizzarias, bares, baladas etc.


Apesar da limitação de mobilidade causada pela deficiência física, Nathalia fez intercâmbio internacional em Las Vegas e foi a primeira estagiária com paralisia cerebral da Câmara Municipal de São Paulo – quando trabalhou no gabinete de Mara Gabrilli.


Premiada com uma bolsa no Legal Education Exchange Program (LEEP), em 2013, Nathalia estudou em San Diego (EUA). 


O curso, que é uma extensão universitária sobre o sistema jurídico norte-americano, foi realizado na Thomas Jefferson School of Law, por meio de uma parceria com a Ordem dos Advogados do Brasil do Estado de São Paulo (OAB-SP).


No mesmo ano, Nathalia deu início ao seu primeiro grande projeto na busca por um Brasil mais inclusivo e, por conta própria, gravou o documentário “Acessibilidade nos Aeroportos da Copa”, lançado pouco antes do início do Mundial: https://www.youtube.com/watch?v=Chy3i02V508


Em junho de 2014, Nathalia se formou em direito pela Faculdade Damásio de Jesus (SP), defendendo a monografia “A Inclusão da Pessoa com Deficiência no Mercado de Trabalho”. Em outubro do mesmo ano, foi aprovada no Exame de Ordem.


Em novembro de 2014, o jornalista e biógrafo Rogério Godinho publicou Tente Outra Vez (Editora de Cultura, 2014, 240 pág.), livro que relata a biografia de Nathalia e promete inspirar uma sociedade mais inclusiva.


Atualmente, além de dirigir o Caminho Acessível, Nathalia se prepara para o concurso de Magistratura do Trabalho, na Faculdade Damásio de Jesus – mesma instituição onde atuou como monitora de graduação na área de Direito do Trabalho.


Visite o Blog Caminho Acessível: http://www.caminhoacessivel.com.br/



FonteDiversidade na Rua



Nenhum comentário:

Postar um comentário