11 de abr de 2016

Como detectar se a criança ou bebê tem algum problema auditivo

 


Nos primeiros meses de vida, o bebê ainda não é capaz de fazer uma relação entre as emoções que experimenta e o que podem significar. 


O bebê depende totalmente de sua mamãe para sentir-se compreendido e atendido nas suas necessidades básicas. 


Quando ele está incomodado ou vive alguma tensão, é sua mãe que identifica a origem do mal estar e lhe oferece alívio necessário para que seu equilíbrio seja recuperado.


A repetição constante dessas experiências é o que possibilita o desenvolvimento da capacidade de pensar do bebê. 


Esta situação se dificulta quando o bebê apresenta um transtorno, parcial ou total, em seu aparelho auditivo. Quando chora, o bebê não poderá tranquilizar-se porque não chegará a ouvir a voz de alento da mãe. 


Isso pode gerar sentimentos de insegurança, de abandono, e fazer com que o bebê não se sinta correspondido pelos pais, ou que se sinta distante deles. 


Nesta fase, dos bebês, é muito difícil detectar uma deficiência auditiva.


Como posso saber se meu filho ouve bem



Segundo alguns especialistas, a surdez é mais facilmente detectada somente a partir dos 2 ou 3 anos. 


Quando se trata de uma criança, é mais cômodo notar alguma dificuldade nesse sentido, já que este problema pode alterar seu comportamento. 


Ela deixará de responder quando seus pais a chamam, pedirá que aumentem o volume da televisão, do aparelho de música, e isso também influirá no seu trabalho do colégio, como também em sua conduta. Se mostrará mais reservado, excluído, porque se sentirá inseguro.

Existem alguns sinais e situações nas que os pais podem suspeitar quando alguma coisa não vai bem com a audição do seu filho: Exemplos:


1- Quando o bebê recém-nascido não mostra sobressalto nem se desperta diante de qualquer ruído do ambiente;


2- Quando os bebês e crianças fazem muito barulho durante os jogos;

 
3- Quando um bebê, de mais de 3 meses, não vira ao chamá-lo;


4- Quando um bebê de aproximadamente 1 ano não inicia linguagem;


5- Quando uma criança, no seu primeiro ano de vida, não balbucia nem responde aos sons nem às chamadas normais em uma família;


6- Quando uma criança, de 2 anos de idade, ainda não diz papai nem mamãe;


7- Quando uma criança, aos 2 anos de idade, atende somente às ordens simples e básicas, sem olhar a quem as produz;


8- Quando uma criança, de 3 anos de idade, não diz palavras, mas emite ruídos que não se entendem;


9- Quando uma criança, aos 3 anos de idade, não é capaz de repetir frases com mais de duas palavras;


10- Quando uma criança, aos 4 anos de idade, não sabe nos contar o que acontece;


11- Quando uma criança aos 5 anos de idade, ainda fala como bebê;


12- Quando uma criança é muito passivo e não incomoda;


13- Quando uma criança pronuncia mal as letras: R, S, D, L, J, e T;


14- Quando o bebê seja demasiadamente tranquilo;


15- Quando o bebê não se altera diante de ruídos inesperados.






Nenhum comentário:

Postar um comentário