30 de mai de 2014

Projeto oferece ioga para pessoas com deficiência intelectual e autismo

 

 
A prática da ioga desenvolve as funções psicomotoras e a sensibilização corporal. Percebendo os benefícios interligados entre a saúde física e mental, a Casa de David e incluiu em suas atividades terapêuticas as aulas de ioga para seus assistidos/abrigados.


A instituição é responsável por abrigar, acolher e tratar pessoas carentes com deficiência intelectual e autismo

Há um ano, foi inclusa a atividade por meio dos voluntários Hector Hungria, Luiz Montini e da norte-americana Subagh Kaur Khalsa. 


Cerca de 30 assistidos participam da atividade atualmente em que se trabalha o eixo de equilíbrio, respiração e concentração, e, mesmo com as limitações patológicas, as respostas são rápidas e positivas.


“A assiduidade e a participação deles nas aulas é impressionante. Principalmente a participação dos assistidos com autismo grave. Os pacientes cadeirantes e com paralisia cerebral também participam de forma espetacular. Todos os dias nos deparamos com situações de melhoria de convivência entre eles, sobretudo de surtos, que deixam de acontecer por causa da atividade”, afirma a Coordenadora de Comunicação da Instituição, Cleize Bellotto.


De acordo com Cleize, as alterações positivas nos assistidos são perceptíveis no que diz respeito às mudanças de humor, concentração, desenvolvimento de capacidades físicas como equilíbrio e flexibilidade, além de diminuição da agressividade e a ansiedade dos deficientes. 


Ela também ressalta que, uma das maiores esperanças do projeto em longo prazo é a diminuição dos medicamentos ou das dosagens.


Fonte: Ciclo Vivo


Nenhum comentário:

Postar um comentário