22 de jun de 2016

Quando a deficiência vira eficiência para as empresas




Você sabia que mais de 24% da população brasileira é composta por pessoas com deficiências (visual, auditiva, física e intelectual)? E de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e EstatísticaIBGE, 6% delas estão aptas a exercerem uma atividade profissional.  


No entanto, apesar disso, muitas empresas ainda possuem certa resistência em relação à contratação dos colaboradores PcDs.


A Lei 8.213/91 determina que as empresas com cem funcionários ou mais precisam preencher de 2% a 5% de seus cargos com funcionários reabilitados ou PcDs que possam realizar as atividades profissionais, mas a grande questão é  transpor as barreiras, principalmente em relação aos prédios que ainda não são adaptados para receber esses colaboradores. 


Existem diversos fatores a serem considerados em relação à contratação das PcDs. Vamos listar três deles para que os Empreendedores possam fazer a diferença e oferecê-los uma oportunidade:


  • Vencer o preconceito: os cidadãos e cidadãs com deficiência são pessoas competentes e capazes de atuar profissionalmente, mas é preciso respeitar as limitações de cada um. As empresas precisam romper esse preconceito ocasionado por falta de conhecimento e uma certa resistência.  
 
  • Responsabilidade social: além de cumprir a lei as empresas precisam se reinventar e se conscientizar que ao contratarem pessoas com deficiências eles serão os maiores beneficiados, assumindo um importante papel de responsabilidade social. 

  • Incentivo aos talentos: a partir do momento que o governo cria uma lei que destina uma parte do quadro de funcionários para as pessoas com deficiência indiretamente está incentivando as PcDs a desenvolverem suas habilidades profissionais e a conquistarem seu espaço como cidadão.


O principal é que todos serão beneficiados e é necessário ter um olhar mais amplo em relação à contratação das PcDs. 


As empresas acabam esquecendo, em algumas situações, de olhar o outro como um indivíduo cheio de sonhos e expectativas e que para que eles possam aumentar seu potencial é necessário que uma empresa abra suas portas para receber esse profissional.  


O profissional com deficiência, após a contratação, terá inúmeros benefícios que contribuirá para mantê-lo motivado, o principal deles é a elevação da autoestima, que acabará refletindo na sua vida pessoal e profissional como a maior conquista para o indivíduo. 


Além disso, ele irá contribuir com o aumento da renda familiar e consequentemente a melhoria da qualidade de vida, sendo que se tornará um consumidor de bens e serviços, desta forma aumentará os postos de trabalho e manutenção dos mesmos. 


Ele também irá encarar o trabalho como uma oportunidade de aprendizado e como uma possibilidade de investir na continuidade dos seus estudos para que tenha condições de crescer profissionalmente.


A empresa por sua vez será beneficiada inicialmente por atender a lei e se livrar do risco de multas desnecessárias. 


Além disso, a organização estará agregando valor à imagem e ao seu negócio, promovendo a inclusão da Pessoa com Deficiência estará garantindo o direito ao trabalho e ao desenvolvimento integral. 


Ao dar oportunidade a uma Pessoa com Deficiência a empresa poderá ganhar um colaborador que se entrega de forma integral, engajado e comprometido, que normalmente se orgulha do seu trabalho. 


Vale ressaltar que os benefícios são mútuos, tanto para as empresas como para os profissionais PcDs. É uma relação que funciona como uma via de mão dupla, onde ambos crescerão juntos, por meio dessa oportunidade.  







Nenhum comentário:

Postar um comentário