30 de mar de 2016

Pessoas com deficiência usam recursos próprios para construir rampa em praça pública

Dois homens de cadeiras de rodas em um terreno em obras



Pessoas com deficiência física que praticam basquete na praça Barão do Rio Branco, no Centro de Macapá, juntaram-se e pagaram com recursos próprios um profissional para construir uma rampa de acesso à quadra. 


A obra, que custou R$ 100, foi executada no sábado (26/03), com a ajuda dos próprios cadeirantes. 


Eles compraram um saco de cimento, contrataram um pedreiro e receberam doações de areia e seixo.


O grupo de esportistas, representado pela Associação dos Deficientes Físicos do Amapá (Adefap), informou que há três anos solicita à prefeitura a adaptação do espaço. Eles dizem que o pedido nunca foi atendido.


Segundo a prefeitura, existe um projeto em andamento de revitalização e readequação da praça.


De acordo com o grupo, para entrar na quadra, os deficientes precisavam da ajuda de alguém. A equipe de basquete treina no local há cerca de 2 anos.


“Quando a gente pede acessibilidade, ela não é só para a pessoa com deficiência. Acessibilidade serve para todo mundo, serve para o idoso, serve para a grávida, e serve também para as pessoas com deficiência. A gente precisa ali de, no máximo, um metro. Esse manifesto aqui hoje [sábado] foi para quebrar e, em seguida, recuperar o espaço quebrado”, falou o atleta Rogério Santos.


Demos prazo para eles [prefeitura]. "Avisamos que até sexta-feira [25/03] se não tivesse feito [o acesso], no sábado não precisava mais, porque a gente viria fazer”, disse o vice-presidente da Adefap, Fernando Oliveira.


A associação informou que contratou um pedreiro para fazer a obra de acessibilidade no espaço público.


“Cada um tem que, primeiro, ajeitar a sua casa. Os órgãos públicos não são acessíveis, e não fazem por onde ser. Eles têm a responsabilidade, a obrigação de tornar acessível principalmente a casa deles. Eles não fazem por onde. Ora, se eles não fazem, vamos fazer no lugar deles”, concluiu Samuel Silva, presidente da Adefap.
 

Fonte: G1Vida Mais Livre





Nenhum comentário:

Postar um comentário