4 de abr de 2014

Associação de Ballet e Artes para Cegos vence maior prêmio do BID

Bailarinos cegos em cena


A Associação de Ballet e Artes para Cegos Fernanda Bianchini, criada em São Paulo, venceu neste domingo (30/03) a 3ª edição do Prêmio Juscelino Kubitschek, criado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), por sua contribuição ao desenvolvimento econômico, social e cultural na região, informou o organismo.


A 55ª assembleia do BID foi encerrada neste domingo na Costa do Sauípe, na Bahia. Também foram agraciados o Instituto Nicaraguense de Cultura Hispânica e o Caribbean Center of Excellence for Youth Entrepreneurship, de Barbados.


As organizações premiadas foram escolhidas entre quinhentas candidaturas procedentes de 28 países. O prêmio, criado pelo BID em 2009, é entregue a cada dois anos.


O objetivo é reconhecer o trabalho de instituições e organizações que contribuem para diminuir a pobreza e promover a igualdade e a elaboração de projetos sustentáveis e de impacto comprovado na região.


Associação de Ballet e Artes para Cegos Fernanda Bianchini venceu na categoria "Social, Cultural e Científica", ao lado da organização da Nicarágua. A outra categoria é "Economia e Finanças". Cada prêmio é avaliado em US$ 100 mil.


O Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) recebeu uma menção honrosa na categoria econômica e o Comitê para Democratização da Informática na social.


A entrega do prêmio, o mais importante concedido pelo BID, foi feita pelo presidente da entidade, Luis Alberto Moreno, durante a assembleia do organismo.





Nenhum comentário:

Postar um comentário