23 de jul de 2016

Espetáculo infantil é interpretado por dois atores cegos


A imagem está no formato retangular na horizontal. Nela contém uma mulher e um homem com deficiência visual e os dois estão tocando flauta. Fim da descrição.


Inicialmente um trabalho de pesquisa em dança, Ventaneira ganhou personagens e uma história que precisava ser contada em outro formato. 


E da adaptação desse conto inédito surgiu Ventaneira A Cidade das Flautas, espetáculo infantil, gratuito, que estreia no dia 06/08, no Centro Cultural Municipal Parque das Ruínas no Rio de Janeiro (RJ).



Inspirada nas cidades imaginárias narradas pelo viajante Marco Polo na obra “As Cidades Invisíveis”, de Ítalo Calvino, a atriz e bailarina Moira Braga decidiu inventar sua própria cidade.Assim nasceu Ventaneira.


Selecionado através do programa ​FomentoCidade Olímpica da Secretaria Municipal de Cultura, com patrocínio da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro​.


A montagem dirigida por Morena Cattoni contará apenas com 2 atores em cena: a própria autora, Moira Braga, e Felipe Rodrigues, ambos deficientes visuais


“O texto inspira poesia, música, movimento e aborda, com muita leveza, o tema das diferenças, da diversidade e da capacidade humana de superar limitações com criatividade e tolerância”, explica Moira. 


Ventaneira é uma cidade fantástica onde flautas voam amarradas em pipas coloridas e só o sopro dos ventos pode tocar estes instrumentos musicais. Um dia, amanhece silenciosa, sem ventos e sem música. 


Até que o menino Rudin, o único habitante de Ventaneira que não sabia nem fazer flautas nem empinar pipas, e que só consegue ver o que suas mãos podem alcançar, descobre como trazer a música e a alegria de volta à cidade. 


Através de Rudin, o público se identificará com questões pertinentes a toda criança: se sentir diferente, ser excluído das brincadeiras, não ser compreendido por ter uma forma especial de observar o mundo.


Este é o terceiro espetáculo que Moira Braga e Felipe Rodrigues fazem juntos. 


O primeiro foi o infantil "Nhac! Uma Lição de Queijo", com direção de Mati Lima, pela PAR Cia de Teatro, e, o segundo, a peça "Volúpia da Cegueira", dirigida por Alexandre Lino. 


“Acho que o desafio de trabalhar com artistas com deficiência não é muito diferente do desafio de trabalhar com artistas sem deficiência. Todo o processo de criação pressupõe aprendizado e desafios”, conta Moira. 


Para a diretora Morena Cattoni, que pela primeira vez trabalha com atores com deficiência, o processo tem sido uma grande descoberta. 


“Aprendi que atores com deficiência são pessoas com outras eficiências. Felipe e Moira são talentosos e muito disponíveis e isso é o mais importante em um processo de criação. "Ventaneira" é um desafio por si só, pois não é uma dramaturgia e, sim, um conto. Como encenar este conto e torná-lo teatro é o nosso desafio”, completa.

***

Ventaneira A Cidade das Flautas 



Quando: De 6 a 28 de agosto de 2016

Onde: Centro Cultural Municipal Parque das Ruínas 

Endereço: Rua Murtinho Nobre, 169 - Santa Teresa (RJ) , 

Horário: sempre aos sábados e domingos, às 11h. 


Aos sábados haverá sessões com Intérprete de LIBRAS, áudio-descrição e legendas eletrônicas


Em setembro, a montagem segue para o Teatro Municipal Gonzaguinha localizado na Rua Benedito Hipólito, 125, Praça Onze(RJ), de 09 a 24/09, sempre as sextas (com recursos de acessibilidade) e sábados às 15h. A classificação é livre  


todas as apresentações gratuitas.
  

***

 




Nenhum comentário:

Postar um comentário