13 de ago de 2016

Núcleo Dança Aberta realiza palestras e oficinas em São Paulo





Núcleo Dança Aberta realiza entre os meses de setembro a novembro a Circulação de Palestras e Oficinas de DanceAbilityque acontecerá gratuitamente em 10 cidades do Estado de São Paulo: 


  • São Paulo;
  • São José do Rio Preto;
  • Campinas;
  •  Leme; 
  •  Piracicaba; 
  •  São José dos Campos; 
  •  São Sebastião; 
  •  Santos; 
  •  Ribeirão Preto; 
  •  Barueri.  

O projeto tem coordenação pedagógica de Neca Zarvos e coordenação geral de Priscila Jorge. 


Seu intuito é aprofundar novos modos de olhar e trabalhar com grupos que contenham diversidade física, mental, de formação pessoal e profissional - e os devidos desdobramentos para desenvolver a sociedade como um todo.


O DanceAbility é um método de dança que utiliza a improvisação de movimento para promover a expressão e a troca artística entre pessoas com diversas habilidades, idades e origens, com e sem deficiência, que tenham interesse em experimentar seu corpo em movimento e a comunicação que nasce dessa experiência. 


Esta será a primeira vez que o Núcleo Dança Aberta fará uma itinerância levando palestras e oficinas de dança. Antes seus principais projetos ocorriam apenas na cidade de São Paulo. 


As inscrições para as oficinas começam dia 15/08 e devem ser efetuadas diretamente pelo site www.nucleodancaaberta.com ou enviadas por e-mail para contato@nucleodancaaberta.com, no período de inscrição correspondente a cidade de interesse.


As palestras discorrerão sobre o histórico do DanceAbility, sua filosofia e metodologia, para especificar as particularidades do método em relação ao mundo da dança com habilidades mistas. 


O objetivo é discutir e repensar a questão da diversidade na arte e o olhar sobre a deficiência na sociedade.


As oficinas de DanceAbility tratarão, de forma prática, sobre o estudo de improvisação, aberto às pessoas que se interessam em explorar o corpo em movimento e as novas possibilidades que o encontro com outros corpos que trazem histórias e experiências diferentes pode trazer. 


O método trabalha a capacidade de dançar de cada indivíduo a partir de sua própria presença, da escuta ao outro e da dinâmica e atmosfera criada pelo grupo.


“Para quem não tem experiência em dança trata-se de um lugar seguro e acolhedor para começar, para quem já dança é uma oportunidade para enriquecer a prática com o desafio que a improvisação em um grupo com habilidades mistas propõe. Cada corpo contribui com sua qualidade particular e todas as qualidades se misturam, dando a todos a chance para a descoberta de novos modos de se mover e perceber”, afirma Neca Zarvos.


Fonte: Revista Incluir

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário