31 de ago de 2016

Plataforma inédita permite que pessoas com tetraplegia estudem via Ensino a Distância




A UNINASSAU, instituição do Ser Educacional, um dos maiores grupos privados de educação do Brasil e líder nas regiões Nordeste e Norte, lança plataforma inédita que permite que pessoas com tetraplegia estudem por meio de modelos de ensino a distância


O lançamento foi divulgado na última sexta-feira dia 26/08, com a presença da deputada federal Mara Gabrilli. 


Na ocasião, uma aluna com distrofia muscular foi presenteada com uma bolsa de estudo para graduação em Marketing. 


O lançamento consolida a segunda etapa do programa EAD Social da UNINASSAU


A primeira fase concedeu bolsas de graduação e pós-graduação para mães com filhos com microcefalia e doenças raras. 


Nesta etapa do projeto, pessoas com tetraplegia poderão estudar via EAD utilizando a plataforma denominada Handsfree, criada pela ONG que leva o mesmo nome. 


O evento faz parte da Semana Estadual e Municipal da Pessoa com Deficiência, promovida pela  Aliança de Mães e Famílias Raras (AMAR).


O equipamento especial possibilita que pessoas mexam o cursor do mouse apenas com a cabeça, permitindo assim, formas de estudo e interação com o ambiente digital.  


O aparelhamento também permite à pessoa com deficiência ligar ou desligar eletrodomésticos e demais itens eletrônicos, por meio da automatização de suas residências ou escritórios.


Ter acesso ao ensino superior é o desejo de grande parte dos cidadãos e isso vai além do sexo, crença, posição social e limitações físicas e psicológicas. 


Foi com o propósito de propagar o acesso à educação, que a UNINASSAU, em parceria com o Instituto HandsFree Tecnologias Assistivas, criou a plataforma para pessoas portadoras de tetraplegia.


Para Sérgio Murilo, coordenador de Responsabilidade Social do Grupo Ser Educacional (mantenedor da UNINASSAU), essa oportunidade é um marco na garantia do acesso ao ensino superior


"Tornar possível que uma pessoa com tetraplegia possa fazer uma graduação via EAD utilizando uma tecnologia assistiva, como o Handsfree, é algo inédito e fantástico", conclui


Fonte: Revista Incluir

 



Nenhum comentário:

Postar um comentário