31 de jan de 2014

Jovens com deficiência participam de curso e se tornam DJs no ES

Participantes do curso fazem pose para foto


Alunos da 1ª turma de formação profissional em DJ voltada para pessoas com deficiência, do Centro de Referência para a Pessoa com Deficiência (CRPD) de Vitória, no Espírito Santo, se formaram nesta semana. 


A turma é composta por 10 alunos, entre eles jovens com deficiência visual, motora ou com síndrome de Down


Eles se formaram em 28 de janeiro e testaram as habilidades em um evento promovido pela instituição nesta terça-feira (21). Segundo o professor que ministrou as aulas, a atividade pode gerar um salário de até R$ 1,3 mil por mês para os novos DJs.
 
As aulas começaram no dia 13 de novembro de 2013. Durante o curso, os alunos passaram por dois módulos, em que aprenderam questões como postura profissional, organização do trabalho, ética, empreendedorismo e teorias e técnicas do trabalho de DJ. 


Conhecido por tocar em várias festas no estado, o DJ Léo Santos ministrou as aulas práticas que prepararam os alunos. 


“É a primeira vez que eu tenho essa experiência, é muito gratificante. A diferença é que eu tenho que me colocar no lugar deles, tem que fazer com que essa deficiência deles não seja deficiência”, disse.
 
Segundo o subsecretário de apoio ao trabalhador da Prefeitura de Vitória, Michel Moscon, a iniciativa é uma ideia inovadora no estado e que atende a uma necessidade antiga desse tipo de público. 


“Aqui dentro do Centro de Referência para a Pessoa com Deficiência nós temos uma demanda muito grande dessas pessoas que estão em busca de qualificação e ingresso no mercado de trabalho. Então nós juntamos esse espaço que nós temos com as oficinas e as atividades que são oferecidas para esse grupo para gerar trabalho, emprego e renda”, disse.


O professor também explicou que para encorajar os alunos levou em consideração a limitação específica de cada um deles. 


“A Sâmela é uma aluna com deficiência visual, então eu vendei todos os outros alunos e e eu também fiquei vendado, para que a gente operasse o equipamento com a mesma dificuldade que ela sente. Já o Diego não movimenta um dos braços, então eu dei a aula com uma mão no bolso, para provar que é possível”, disse Léo. 


Sobre atitude do professor, o aluno Diego não poupou elogios. “Foi incrível. Não imaginava que ia conseguir, no começo não era fácil”, contou.


Para Léo, a atividade pode se tornar fonte de renda para a turma, que já pensa em colocar em prática o aprendizado. 


“Já podem começar fazendo uma festa em casa, para os parentes, em um condomínio. Eles já tem essa habilidade. Fazendo uma festa por semana, eles podem ganhar até R$ 1,3 mil por mês”, disse o professor.
 
Um dos alunos, que escolheu como nome artístico o título de DJ Felipão, garante que está preparado para animar qualquer evento. 


“Seja festa de adulto, criança, casamento. Só estou esperando uma festa para eu tocar, seria muito legal”, disse Filipe Ribeiro Lima, que tem síndrome de Down.
 
O CRPD fica situado à avenida Professor Fernando Duarte Rabelo, 70, Segurança do Lar. O telefone para contato é: (27) 3327-5236.



Fonte: Vida Mais Livre



 

Nenhum comentário:

Postar um comentário