29 de set de 2016

Wheelchair Fest ocupa a rodoviária Novo Rio






Os Jogos Paralímpicos acabaram, mas ainda é possível conferir a exposição de cadeiras de rodas customizadas que integrou o Wheelchair Fest, no Boulevard Olímpico


E mesmo depois dessa data, o evento Wheelchair Fest - uma plataforma multicultural que utiliza a cadeira de rodas como ferramenta de conexão entre pessoas com deficiência e a cultura carioca - deixará seu legado. 


Coube ao artista e cenógrafo PIA criar a cadeira Sonho Simples, que traduz o espírito do evento e lança luz sobre a inclusão de forma natural, refletindo o sonho de uma cidade mais alegre e acessível.  


A obra marca a parceria  Grupo ÚTIL e a Rodoviária Novo Rio, onde ficará exposta até 20/10. A inauguração da 11a obra aconteceu dia 22/09, na Rodoviária Novo Rio, com a participação especial do músico Jonatha Bastos, que tocou na cerimônia de encerramento dos jogos paralímpicos no Maracanã.


“Isso é um legado paralímpico que deixamos para os turistas que ainda estão na cidade em um local como a Rodoviária, que não é apenas porta de entrada, mas de extrema importância para o Rio de Janeiro. Essas empresas tem uma grande sensibilidade em relação as pessoas com deficiência e trabalham muito, internamente, essa responsabilidade social.”, declarou Caio Leitão, diretor do evento que faz parte das comemorações dos 10 anos de atividades da Embaixadores da Alegria, primeira escola de samba voltada para pessoas com deficiência.


Ao todo, onze artistas de diferentes áreas foram convidados para customizar cadeiras de rodas, que ficaram, durante os Jogos espalhadas pela Praça Mauá.


A artista multidisciplinar Mana Bernardes fez da  sua obra um arco-íris com linha e bordados, enquanto o grafiteiro Marcelo Eco desenhou um Saci Pererê com próteses, em uma homenagem aos negros escravos – que aqui chegavam pelo Cais do Valongo (atual Boulevard) e os cadeirantes.  


Completam o time de artistas o ilustrador Felipe Guga, a própria Embaixadores da Alegria, o produtor social Rene Silva, do jornal Voz da Comunidade, o grafiteiro Rafael Doria, os artistas plásticos Katia Wille e René Machado e o designer de luz Tomás Ribas. 


Já o Instituto Municipal Nise da Silveira participou com um coletivo de seus pacientes e alunos. 


A direção de conteúdo é  assinada por Caio Leitão, especialista em marketing cultural e um dos fundadores da instituição, curadoria de Fernanda Sattamini,


“A Embaixadores da Alegria está em festa por seus dez anos de atividades. E o evento é uma maneira inefável que encontramos de mostrar que existe possibilidade de diálogo entre as diferenças, por meio da arte”, afirma Caio.



 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário